A arte e o Bullying

“A arte ensina justamente a desaprender os princípios das obviedades que estão atribuídas aos objetos, às coisas. Ela parece esmiuçar o funcionamento dos processos da vida, desafiando-os para novas possibilidades. A arte pede um olhar curioso, livre de pré-conceitos, mas repleto de atenção.” 

(Katia Canton)

Um dos assuntos mais debatidos e discutidos atualmente é o bullying, uma ação às vezes verbal, outras moral, muitas vezes  física e até sexual, um problema que gira em torno da escola e dos bairros ao redor dela. A maioria das vezes o bullying está ligado à estética e aparência, valores que se evidenciam cada vez mais nessa nova sociedade internética, onde as redes sociais tem como tema principal a vaidade, um dos  assuntos mais postados nesses sites. Assim,  como a criança já cresce nesse contexto, inserida nessa realidade, isso não iria afetar ainda mais os problemas de bullying nos colégios. Não podemos impedir as crianças de terem acesso a essas informações, essa é a nova sociedade cibernética, e para ajudar a mudar essa visibilidade de vaidade precoce, nada melhor que trabalhar nas escolas a arte de uma forma realmente sustentável, algo que leve ao aluno valores morais dignos de respeito e parceria. Trabalhar a partir de um ponto de vista ecológico faz o aluno respeitar o espaço, o meio ambiente, seu ecossistema, sua fauna e flora. Estando o homem dentro desse ciclo, o aluno passa a entender as diferenças de cores, formas, raças e etnias de uma forma natural, que é o certo, deixando os valores estéticos e sociais serem consequência do que foi dado naturalmente pelo planeta e suas diferenças naturais. Dessa forma deixando de evidenciar no outro a distinção visual de cada indivíduo.

Videos:


Os atos de bullying ferem princípios constitucionais – respeito à dignidade da pessoa humana – e ferem o Código Civil, que determina que todo ato ilícito que cause dano a outrem gera o dever de indenizar. O responsável pelo ato de bullying pode também ser enquadrado no Código de Defesa do Consumidor, tendo em vista que as escolas prestam serviço aos consumidores e são responsáveis por atos de bullying que ocorram dentro do estabelecimento de ensino/trabalho.                                                           Orson Camargo
Colaborador Brasil Escola
Graduado em Sociologia e Política pela Escola de Sociologia e Política de São Paulo – FESPSP
Mestre em Sociologia pela Universidade Estadual de Campinas – UNICAMP

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s