Árvore Educacional – Caule

O caule é um órgão vegetativo, geralmente aéreo, clorofilado quando jovem e aclorofilado quando adulto. As gemas são locais que dão origem ao desenvolvimento de partes vegetativas da planta, dependendo da espécie.

O que é?

O caule é um órgão vegetativo, geralmente aéreo, clorofilado quando jovem e aclorofilado quando adulto. As gemas são locais que dão origem ao desenvolvimento de partes vegetativas da planta, dependendo da espécie.

tronco

Suas Funções

a) Sustentação (= suporte) – folha, flores e frutos.

b) Condução de seivas bruta (xilema) e elaborada (floema).

c) Fotossíntese: os caules jovens e caules adultos de plantas herbáceas (que são verdes, como as folhas) são capazes de produzir seu próprio alimento, e para isso são dotados de pigmentos (clorofilas – pigmento verde) capazes de captar a energia solar e a partir de substâncias inorgânicas simples (água e gás carbônico), transformá-la em alimento orgânico.

d) Reserva nutritiva em alguns casos como das batatas, das cebolas, dos alhos, etc.

 

Suas Partes

Nó: local onde se inserem as folhas.

Entre-nó: porção entre os nós.

Gema ou broto apical (= terminal): folhas apicais em formação.

Gema ou broto lateral (= axilar): folhas laterais em formação.

 

Classificação do Caule

São classificados quanto ao porte em:

  • Herbáceos: caules não lignificados, verdes, flexíveis e caracterizam as plantas herbáceas.
  • Lenhosos: caules lignificados, rígidos, porte geralmente avantajado, caracterizam arbustos e árvores.

São classificados quanto ao meio em:

  • Subterrâneos ou hipógeos: Os caules subterrâneos, assim como as raízes, contêm normalmente uma grande reserva nutritiva e podem ser utilizados na alimentação humana. Desenvolvem-se, assim como as raízes, imersos na terra, sem luz solar, a exemplo das batatas (tubérculos) e das cebolas (bulbos).
  • Aéreos ou epígeos: Os caules aéreos são todos aqueles que crescem em sentido radial, indo em direção à luz, como os troncos das árvores.
  • Aquáticos ou hidróbios: caules de plantas aquáticas.

 

Subterrâneos ou hipógeos

a) Rizomas: caules levemente cilíndricos, que se desenvolvem paralelo ao solo, podendo emitir ramos aéreos a partir da gema apical ou das gemas laterais. Ex.: samambaias, bananeiras e íris.

b) Tubérculos: caules arredondados, hipertrofiados, que acumulam substâncias de reserva (amido). Apresentam saliências denominadas olhos ou brotos (gemas). Ex.: batatas, cará, inhame.

c) Bulbos: são estruturas complexas subterrâneas, onde uma porção denominada prato, representa o caule. O prato é envolvido por folhas modificadas, os catáfilos, suculentos, que armazenam substâncias de reserva. Ex.: cebola, alho, lírio.

d) Cormos: semelhantes aos bulbos, alguns autores os consideram bulbos maciços. São comparados aos rizomas que sofreram encurtamento. Possui catáfilos secos e bem menores que os bulbos. Ex.: palma-de-santa-rita, açafrão.

f) Xilopódio: caule típico do cerrado e nordeste, são caules hipertrofiados que armazenam água. Quando ocorre queimadas a planta tem condições de se refazer. Ex.: maniçoba.

 

Aéreos ou epígeos

1. Eretos Normais

a) Tronco: caule lenhoso e resistente, ex.: ipês, paineiras, pinheiros, etc.

b) Haste: caule geralmente verde, pouco resistente. Ex.: margarida, copo-de-leite, etc.

c) Colmo: caule lenhoso, com nós cheios (como a cana-de-açúcar) ou ocos (como o bambú), é característico das monocotiledôneas.

d) Estipe: caule lenhoso, longo, não ramificado, com folhas no ápice, característicos das palmeiras (Família Arecaceae).

2. Eretos Modificados

a)Cladódios: Caules verdes e suculentos, com folhas reduzidas a espinhos ou sem folhas, que acumulam água. Ex.:cactus.

b) Filocladódios ou filocládios: são cladódios achatados, são projeções do caule verde que parecem folhas. Ex.: aspargo ornamental.

c) Alados: é uma haste verde com expansão alada, sem reserva. Ex.: carqueja.

d) Espinhos: formações pontiagudas originadas dos tecidos endógenos do caule, com função de proteção. Ex.: limoeiro, laranjeira.

e) Gavinhas: ramos filamentosos, herbáceos, sem folhas, que servem como elementos de fixação. Ex.: uva.

3. Trepadores

a) Volúvel: caule desprovido de órgãos de fixação, apenas enrolando-se em espiral quando encontra suporte. Pode ser dextrógiro , quando enrola-se para a direita, ou levógiro, quando o faz para a esquerda. Ex.: feijão.

b) Sarmentoso: caules que apresentam elementos de fixação ao longo de seu crescimento, como gavinhas (chuchu) e raízes grampiformes (hera).

4. Rastejantes

a) Prostrados ou caídos: crescem horizontalmente ao solo por serem pouco resistentes para manterem-se eretos. Não possuem elementos de fixação ao longo do caule. Ex.: melancias, abóboras (Cucurbitaceae).

b) Estoloníferos: apresentam nós, onde se formam raízes e funciona como elemento de reprodução vegetativa. Ex.: morangueiro, hortelã, trevinho.

 

Aquáticos ou hidróbios: Geralmente pouco desenvolvidos, tenros, quase sempre clorofilados, com aerênquimas, facilitando a flutuação do vegetal. Ex.: nenúfar e plantas aquáticas em geral, exceto a vitória-régia (que não possui caule).

fonte: http://ambientes.ambientebrasil.com.br/educacao/arvore_educacional/arvore_educacional_-_caule.html

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s