AGENDA 2030 PARA O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL – Leve essa ideia para sua escola!

Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU

Transformando Nosso Mundo: A Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável

MATERIAL COMPLETO:  https://nacoesunidas.org/pos2015/agenda2030/ 

Este ano começarei as aulas apresentando esse importantíssimo projeto/agenda de vida para os estudantes do colégio onde trabalho. Faremos cartazes informativos com as ideias que surgirem após uma calorosa roda de conversa (ás vezes temas assim geram debates, ótimo!).  A partir  das suas experiências de vida, de acordo com cada tópico abaixo (dos objetivos globais) sitado, indagarei:

O que é pobreza (patamar mundial) para você, como você pode expressar isso artisticamente e de forma consciente?

Colocada a problemática mãos a massa!

Acesse os objetivos globais clicando sobre cada um deles:

 

Acesse o documento final da agenda pós-2015 ao lado ou acesse no formato PDF em português (clique aqui) e em inglês (clique aqui).

 

Frans Krajcberg – Artista do mês de janeiro

Artistas sustentáveis e planetários


Todo mês teremos um artista, acompanhem.

Franz_KrajcbergBIOGRAFIA 

Frans Krajcberg (Kozienice, Polônia, 1921 – Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2017). Escultor, pintor, gravador e fotógrafo. Autor de obras que têm como principal característica a exploração de elementos da natureza, destaca-se por seu ativismo ecológico, que associa arte e defesa do meio ambiente.

Nascido na Polônia, Krajcberg forma-se em engenharia e artes pela Universidade de Leningrado. Mais tarde, ao mudar-se para a Alemanha, ingressa na Academia de Belas Artes de Stuttgart, onde se torna aluno do pintor alemão Willi Baumeister (1889-1955).

Sua carreira artística se inicia no Brasil, para onde migra em 1948, procurando reconstruir sua vida depois de perder toda a família em um campo de concentração durante a Segunda Guerra Mundial (1939-1945).

Reside um curto período no Paraná (isolando-se na floresta para pintar) e, em 1951,  participa da 1ª Bienal Internacional de São Paulo, com duas pinturas. Muda-se para o Rio de Janeiro em 1956, onde divide ateliê com o escultor Franz Weissmann. Naturaliza-se brasileiro no ano seguinte. Suas pinturas desse período tendem à abstração, predominando tons ocre e cinza. Trabalha motivos da floresta paranaense, com emaranhados de linhas vigorosas.

O artista retorna a Paris em 1958, onde permanece até 1964. Alterna sua estada em Paris com viagens a Ibiza, na Espanha, onde produz trabalhos em papel japonês modelado sobre pedras e pintados a óleo ou guache. Essas “impressões” são realizadas com base no contato direto com a natureza e aproximam-se, em suas formas, de paisagens vulcânicas ou lunares. Também em Ibiza, a partir de 1959, produz as primeiras “terras craqueladas”, relevos quase sempre monocromáticos, com pigmentos extraídos de terras e minerais locais. Como nota o crítico Frederico Morais, a natureza torna-se a matéria-prima essencial do artista.

De volta ao Brasil, em 1964, instala um ateliê em Cata Branca, Minas Gerais. A partir desse momento ocorre em sua obra a explosão no uso da cor e do próprio espaço. Começa a criar as “sombras recortadas”, nas quais associa cipós e raízes a madeiras recortadas. Nos primeiros trabalhos, opõe a geometria dos recortes à sinuosidade das formas naturais. Destaca-se a importância conferida às projeções de sombras em suas obras.

Em 1972, passa a residir em Nova Viçosa, no litoral sul da Bahia. Amplia o trabalho com escultura, iniciado em Minas Gerais. Intervém em troncos e raízes, entendendo-os como desenhos no espaço. Essas esculturas fixam-se firmemente no solo ou buscam libertar-se, direcionando-se para o alto. A partir de 1978, atua como ecologista, luta que assume caráter de denúncia em seus trabalhos: “Com minha obra, exprimo a consciência revoltada do planeta”.1 Krajcberg viaja constantemente para a Amazônia e Mato Grosso, e registra por meio da fotografia os desmatamentos e queimadas em imagens dramáticas. Dessas viagens, retorna com troncos e raízes calcinados, que utiliza em suas esculturas.

Na década de 1980, inicia nova série de “gravuras”, que consiste na modelagem em gesso de folhas de embaúba e outras árvores centenárias, impressas em papel japonês. Também nesse período realiza a série Africana, utilizando raízes, cipós e caules de palmeiras associados a pigmentos minerais. Krajcberg sempre fotografa as suas esculturas, muitas vezes tendo o mar como fundo. O Instituto Frans Krajcberg, em Curitiba, é inaugurado em 2003, recebendo a doação de mais de uma centena de obras do artista.

Krajcberg, ao longo de sua carreira, mantém-se fiel a uma concepção de arte relacionada diretamente à pesquisa e utilização de elementos da natureza. A paisagem brasileira, em especial a floresta amazônica, e a defesa do meio ambiente marcam toda a sua obra.

Obras

Da década 1950 à 2000

Arquivo Google de Busca 

Mídias

Acervo Itau Cultural

 Visita à Krajcberg – Encontros, 1997
Direção Roberto Moreira Itaú Cultural

 

Frans Krajcberg – Enciclopédia Itaú Cultural
É na natureza que Frans Krajcberg encontra abrigo após a Segunda Guerra Mundial (1939-1945), assim como inspiração para suas esculturas, pinturas, gravuras e fotografias. O polonês chega ao Brasil em 1947, para “fugir do homem”. Nessa fuga, ele se embrenha por florestas e descobre um mundo que não conhecia. Em vez de criar para atender as demandas do mercado da arte, Krajcberg decide que mostraria sua revolta contra a destruição do planeta. Com essa intenção, ele utiliza troncos de árvores, folhas e cipós como matéria-prima ou fonte de inspiração para criações que passam necessariamente pelo fogo antes que seus restos sejam levados à casa do artista, em Nova Viçosa, no Sul da Bahia. “Ali, eu as transformo. Para elas falarem, gritarem socorro. Para deixar a Amazônia sobreviver”, diz ele. “Até o final da minha vida, vou continuar como sou. Viver fora da cidade, na minha mata. Ouvir a música dos meus passos.”

Produção: Documenta Vídeo Brasil
Captação, edição e legendagem: Sacisamba
Intérprete: Carolina Fomin (terceirizada)
Locução: Júlio de Paula (terceirizado)

 

Notas / fonte:
http://enciclopedia.itaucultural.org.br/pessoa10730/frans-krajcberg
1 Citado em FRANS Krajcberg revolta. Rio de Janeiro: GB Arte, 2000. p. 165.

Ideias Natalinas

Com os restos de materiais do ano letivo, construímos alguns cartões e um grande painel expositivo.

A mensagem principal foi uma reflexa de o quanto a natureza precisa da nossa ajuda. Como podemos ajudar a Mãe natureza?

Partindo dessa problemática, nos sentamos em círculo, cada criança falou como poderia ajudar a natureza. E mais uma vez o trabalho de escuta consciente e o fazer de forma coletiva foram o nosso objetivo maior.

A grande árvore contou coma ajuda de todas as turmas. Com os restos de matérias, doados e recolhidos durante o ano foram confeccionadas as composições. De forma livre os cartões ganharam viva e mensagens positivas.

Confira:

Ecoyoga – 1ª aula do Jardim I

Muitas crianças já ouviram falar de Yoga, e no primeiro instante, elas já se posicionam em postura de meditação.

Nessa trabalho foi realizado um introdução das principais posturas, alongamentos e exercícios com a bola grande. Um bate papo sobre a natureza (Educação Ambiental) e uma pequena aula de pranayama (exercícios de respiração).

Cada criança ganhou uma “canoa” (tapetinho/colchonete) para se posicionar e aprender sobre como a alongar o corpo, a formas de respiração, os elementos da natureza e seu equilíbrio que  são essenciais para nossa vida!

Com o som da floresta, tentamos em meio a vida urbana, nos conectarmos com a sinergia que o Yoga proporciona para nosso corpo, mente e espírito.

 

Proporção do Rosto

Os alunos do 1º ano estão aprendendo sobre o universo circense com sua professora polivalente e em Artes sobre o Rosto. Unindo as propostas  temos essa atividade.

🤡 – Atividade sobre as proporções do rosto

Não direcionada (5 anos/ não alfabetizada)

Todo material foi entregue sem nenhum roteiro estabelecido de como compor a fisionomia do palhaço. Pude observar  que grande parte das crianças trabalharam por associações de formas e cores. Que na verdade não é nenhuma novidade!

Mas que confirma o quanto somos condicionados ao mundo 🌍que nos cerca (Wallon). As crianças reconhecem nas outras que possuem espírito de liderança, um caminho para sua própria aprendizagem, imitando ou não.

Mas, vamos lá…

Passei no final (quando todos já haviam acabado)um vídeo sobre expressões faciais (link abaixo). E assistimos um espetáculo do Cirque Du Soleil. Livres na sala eles poderiam imitar e assistir ao mesmo tempo.

 

Antes de dar o primeiro passo a maior parte das crianças observam o mundo ao seu redor. 

Problemática social:

Então, o que você anda falando e deixando seu filho/estudante assistir na TV?

Observe se isso realmente tem sentido para suas aulas e vida cotidiana.

 

#sustentabiliarte #artkids  #amor #sustentabilidade #ecopedagogia #ecoart #cidadaniaplanrtaria #eco #ecoaula #arteparavida #arteterapia #musicoterapia #terapiasexpressivas #expressaocorporal #movimentacao #gabrieladiazeducadora #conscienciaplanetaria #consciencia #altruismo #cooperatividade #meioambiente #planetaterranossacasa #arte #art #artenaescola #arteparavida #arteeduca #ecopsicologia

Como fazer um fundo para reutilizar um banner

Sem ideia para fazer um fundo criativo com a cara dos pequenos?

Então que tal chamar os pequenos artistas para ajudar. Os pequenos da E.I (4 anos) colocaram a mão na tinta e saíram carimbando o fundo do painel. A orientação para obter as cores de forma “limpa”, sem virar aquele borrão de cor cinza. Foi não esfregar as mãos na tinta, apenas apertar! Use o lado cinza se não tiver muitos trabalhos para colocar.

Confira o resultado:

Com ilustrações, livro propõe explicar veganismo para crianças

“Guia para Pequenos Veganos” é um livro infantil a ser lançado pela autora e ilustradora Bárbara De Baisi, cujo objetivo é apresentar às crianças o universo do veganismo de forma lúdica e didática.

guiaparapequenosveganos_01

Créditos: divulgação Guia para Pequenos Veganos
Ilustração do “Guia para Pequenos Veganos”

Mais do que uma dieta, o veganismo é uma filosofia que propõe o não consumo de qualquer produto – alimentício ou não- de origem animal, ou derivado.

guiaparapequenosveganos_03

Créditos: divulgação Guia para Pequenos Veganos
Ilustração do “Guia para Pequenos Veganos”

Estão nessa lista todas as carnes, ovos, manteiga ou qualquer produto que tenha esses ingredientes, roupas e acessórios de couro, assim como produtos testados em animais.

“Veganismo é sobre os direitos dos animais, acredito que também devemos pensar em todo o ambiente em que se encontram e como nós interferimos nele”, explica Bárbara, sobre a relação entre veganismo e sustentabilidade.

“Vendo postagens de crianças que não queriam mais comer animais, ou de mães que queriam ou tinham filhos que não comiam ingredientes de origem animal, percebi que não existe ainda no Brasil nenhum material que aborde o assunto de forma ampla. Nós conseguimos entender toda a questão de consumo e indústria, mas uma criança não. então pensei em como deve ser difícil para pais vegetarianos ensinarem seus filhos sobre o assunto”, explica Bárbara, que é vegana há dois anos, sobre a motivação para fazer o livro.

guiaparapequenosveganos_02

Créditos: divulgação Guia para Pequenos Veganos
Ilustração do “Guia para Pequenos Veganos”

O livro será publicado por meio de um financiamento coletivo, e a ideia é que não apenas o tema esteja conectado com a temática da sustentabilidade, mas também seja produzido de forma sustentável: será impresso em papel com certificado FSC, garantindo o uso responsável das florestas, e com tintas e vernizes a base de óleos vegetais e isentos de chumbo, petróleo e outros químicos nocivos ao meio ambiente.

Gostou? Apoie essa iniciativa e ajude a financiar o projeto:

fonte:https://catraquinha.catracalivre.com.br/geral/nutricao-2/indicacao/com-ilustracoes-livro-propoe-explicar-veganismo-para-criancas/

 


 

Meditação direcionada – Retorno após férias!

A meditação é uma das maiores artes da vida, talvez a maior de todas.  Mas não se pode de modo nenhum aprende-lá de alguém, e é aí que está a beleza dela. (J. Krishnamurti).

A meditação exige uma mente sobremodo vigilante; a meditação é a compreensão da totalidade da vida, na qual não existe mais nenhuma espécie de fragmentação. Meditação não é controle de pensamento, porque, quando o pensamento é controlado, gera conflito na mente; mas, quando se compreende a estrutura e origem do pensamento, então ele não mais interfere. Essa compreensão da estrutura do pensar é a sua própria disciplina, que é a meditação. (J. k)

Aula de meditação direcionada 

Proposta: O Cosmos

Turmas: A partir do 5 º ano, fundamental II e médio.

Objetivo: trabalhar mente, emoção, criatividade, auto-consciência .

Processo:

  • Organizar a turmas num espaço aconchegante, se possível com colchonetes.
  • Perguntar ao grupo: O que é cosmos? Mediar a interação do grupo.
  • Fazer um minuto de silêncio para estabelecer o foco e a energia.
  • Iniciar o processo de escuta, em silêncio colocar o áudio: O pálido ponto azul.
  • Primeiro sem imagens usar  só a imaginação. Deixar claro que este é um processo de meditação e criatividade. Prestar a atenção nas imagens que o inconsciente trás ao consciente.
  • Finalizado o processo de escuta, roda de conversa deixe que cada criança relate sua experiência, podendo ser registrado em um desenho/pintura coletiva.
  • Depois se possível, levá-los a uma sala para assistir o vídeo para finalizar.

 

Boa aula!

Pintura com pó orgânicos


Valorizar o processo criativo

 

Possibilitar  as crianças que conheçam outras formas, texturas e materiais para criar, brincar, cheirar, comer e sujar-se …

  É na troca de experiências que descobrimos uma nova possibilidade de inventar!

Artista usa pó de janelas de carros para “pintar”

O americano Scott Wade usa materiais inusitados para fazer sua arte: poeira e vidros de carros. Ele pinta obras complexas usando apenas o pó que fica sobre as janelas dos carros.

A “pintura” dura apenas até a próxima lavagem, mas o trabalho detalhista de Wade chama a atenção. Assista no vídeo abaixo como funciona o processo de realização da obra:

0,,43125066,00

Processo

  • Podemos falar de onde esses pós vieram (estudo da origem da matéria prima), ex: pó de café – De onde vem o café?

A palavra “café” vem do árabe Kahoua ou Qahwa (o excitante) e designa: o fruto do cafeeiro; bebida preparada por infusão de água quente com café torrado e moído; lugar público onde se tome café ou outras bebidas; cor café, um marrom escuro que lembra o grão de café torrado.

 

  • Vamos cheirar o pó de café? (Deixar que eles relatem suas experiências passados).
  • Como podemos pintar com o pó? (deixar que investiguem possibilidades).
  • Como fixar o pó no papelão? (deixar que investiguem possibilidades).

Fazer artístico

Liberta total de expressão (coletiva e individual)

Este slideshow necessita de JavaScript.

Materiais

  • pó (elementos orgânicos ou sustentáveis)
  • Qualquer tipo de tempero
  • café em pó
  • urucum
  • cúrcuma
  • curry
  • moringa em pó
  • cola branca
  • suporte de papelão diversos
  • moldura: pode ser feita com grãos, pedrinhas ou tiras de papel colorido

Boas experimentações!


 

Decoração Sustentável – Festa Junina


Ideias para ajudar a decorar a festa e ser consciente!

 

 As Festas Juninas são celebradas ao longo do mês de junho. Sua origem foram as festas pagãs, com fogueiras e queimas de fogos para afugentar os maus espíritos. Elas começaram nos campos e plantações originando os trajes típicos de caipiras e sinhazinhas, com casamento de roça, discurso do padrinho, as capelinhas decoradas etc.

Com o passar do tempo, as festividades foram tomando um cunho religioso. Pela tradição, a festa junina consiste em celebrar os bons resultados da colheita e também, pedir que o próximo plantio traga bons frutos. São João é o santo protetor das colheitas e se faz comemorar com seus seguidores: Santo Antonio e São Pedro (assim, 24, 13, 29 de junho).

(fonte: http://www.smartkids.com.br/trabalho/festa-junina)

Decoração 

Aqui estão algumas sugestões para enfeitar sua escola, empresa ou casa com materiais que já iriam para o lixo.

Mas você , ser humano consciente… deu vida, cor e magia para eles:

Materiais:

  • revistas velhas
  • jornais velhos
  • barbate
  • retalhos de papel
  • catálogos de livros
  • troncos secos
  • fitas de cetim (ano anterior)
  • cola branca
  • papelão
  • cabo de vassoura
  • caixa de ovo
  • caixa de sucos
  • retalhos de papel

Use sua criatividade e consciência !

Este slideshow necessita de JavaScript.