Escola cria campanha de financiamento para tornar-se sustentável

O coletivo Organicidade e a Morada da Floresta foram procurados pelo Centro de Educação Infantil – CEI Jamir Dagir, localizada na zona oeste de São Paulo, em busca de apoio técnico para se tornar uma instituição exemplar em práticas sustentáveis.

Foi aí que surgiu a oportunidade de implementar uma proposta pedagógica que inclua a questão ambiental e que contribua para mudar atitudes e hábitos rumo a uma cultura de maior sustentabilidade. Isto quer dizer: possibilitar que as crianças de zero a três anos se desenvolvam plenamente por meio do contato livre e direto com a natureza, criar espaços educadores sustentáveis, implementar boas práticas como a compostagem de 100% dos resíduos orgânicos da escola e disseminar estas iniciativas à toda comunidade escolar por meio de parcerias.

Parquinho do CEI Jamir Dagir.

Para fazer com o projeto se torne realidade, o coletivo criou uma campanha de financiamento coletivo na plataforma Catarse.  A meta é arrecadar R$ 14.300.

  • Clique aqui para apoiar.

Com o dinheiro arrecadado, serão oferecidas oficinas de educação ambiental e criado um sistema de reciclagem dos resíduos orgânicos com professores e crianças para ensinar a importância do contato com a natureza. Entenda aqui as etapas e como o trabalho será realizado.

“Iniciar este projeto ignifica reconhecer e honrar a escola como polo irradiador de uma cultura de sustentabilidade. Honrar a criança que, por viver no mar de concreto que é São Paulo, acaba se distanciando de sua essência; criança é natureza”, afirmou o coletivo.

FONTE: https://catraquinha.catracalivre.com.br/geral/aprender/indicacao/escola-cria-campanha-de-financiamento-para-tornar-se-sustentavel/

ECOYOGA – MÊS DO FOGO

Em  junho, foi realizado durante as aulas de Yoga, o mês do FOGO.

Contemplamos esse elemento com som do vulcão, do fogo e dançamos para ele. Aprendemos  a fazer fogo como na pré- história (atrito de pedras e madeira). O fogo feito pela natureza: o sol, os vulcões, os raios e até no choque de um meteoro (rs). Meditamos com a chama da vela. Cantamos:

Fogo, fogo, fogo…

Fogo, fogo, fogo…

Ilumine o coração…

Com amor e compaixão.

As posturas do mês:

Arco / Vela/ Vela derretida/ Raio/ Trovão

 

OBRIGADA MEUS QUERIDOS POR FAZEREM O MEU DIA TÃO FELIZ!

NAMASTÊ!

A ARTE DO PONTILHISMO CONSCIENTE

A arte na educação deve promover experiências livres, sem levar em consideração o resultado final, pautado em princípios estéticos!

 Quando partimos desse foco, estamos LIVRES! A arte livre é feita com amor e com o coração! Sem EGO e sem estética (mais “entrega” por favor), vamos fazer e deixar a emoção da liberdade comandar os gestos dos pinceis e a parceria da coletividade emanar energia positiva ao universo, contagiando a sala, o corredor, a escola… sem angustias, sem receios, sem apreciações, apenas sinta o TODO na experiência do fazer.  Todos podemos ser artistas de alma…

Chega de arte doentia, de glorificar artistas depressivos, suicidas, depravados, doentes emocionais…. Que buscaram na negatividade a LUZ, e encontraram a  cegueira da ilusão, afundando-se no desespero, até quando a dor  será sinônimo de arte.  Pinturas que vibram: emoções depressivas, traumas, angustias, apelos, medos, covardia, socorro, vazio emocional e puro EGO. Muitas vezes rotuladas por Marchand, como  algo excepcional, mas de fato, o valor é o capital que se pode ganhar com seu “xaveco”.

Enfim: Dói, essa cegueira coletiva que alimenta essa industria corrosiva!

Podemos usar diversas técnicas, como eu usei o pontilhismo, nesta ação artística.

 

O Planeta necessita de arte de alma LUCIDA, de AMOR INCONDICIONAL, de COMPAIXÃO, DE LIBERDADE ….sem EGO.

A liberdade de não se querer nada em troca… apenas sentir essa corrente positiva no TODO!

Q dia lindo e especial… quando todos entendem a proposta o silêncio fala na consciência de cada envolvido.

 

Obrigada meus queridos por fazerem o meu dia tão feliz e único.

 

 

 

 

Criança Natureza

A iniciativa procura colocar em pauta a importância de garantir que as crianças cresçam e se desenvolvam em contato direto com a natureza e mostrar caminhos para isso.

Instituto Alana

 

 

 

fonte:http://alana.org.br/projeto-crianca-e-natureza-lanca-site-que-reune-materiais-sobre-o-tema/

O brincar tá na escola

O documentário relata que as brincadeiras são as fontes necessárias para construção:

  • social;
  • emocional;
  • intelectual;
  • motora;

O inventar possibilitará aspectos enriquecedores na vida do individuo. Vamos brincar!

Fome de Brincadeira na Educação

Educação se faz com liberdade de expressão, assim, garantiremos o pão!

Para matar a fome da conscientização.

A brincadeira é o prato mais saudável que podemos oferecer,

Pois nessa receita os ingredientes serão improvisados, fácil  de se obter.

A criança tem fome de educação,

A criança tem fome de brincar com emoção,

A criança tem fome de estudar com o coração.

 Com carinho e confiança, assim, veremos o sorriso no rosta da  criança!

A criança precisa de espaço,

Com outras crianças para formar-se um laço.

Que enfeitará a sua vida para sempre…

Guardando na memória os momentos sorridentes.

Gabriela Diaz

Caramba Carambola o Brincar tá na Escola

ESCULTURA – Construtivista

O construtivismo apresenta a ideia de “construir” usando materiais naturais e sintéticos oferecidos pela industrialização. As obras se apresentam como objetos compostos de elementos geométricos em materiais diversos como metal, vidro, papelão, madeira, acrílico, plástico, dentre outros usados sós ou em combinação. O aparecimento de novos materiais implica na geração de novas técnicas e sistemas de construção, que , por sua vez determinam o surgimento de novas estruturas e aparências.

Luis – UFRGS

Fundamental II

Objetivo: compreender a história das esculturas, conscientizar sobre o uso de materiais recicláveis e aprender a trabalhar em equipe.

Vamos começar falando sobre as primeiras esculturas registradas pela humanidade, depois  você vai mostrando essa evolução, ate chegar no contemporâneo! Monte sua aula de acordo com o que você acha interessante… liberdade é muito importante.

O resultado estético acontece de acordo com o envolvimento do grupo, e para o Sustentabiliarte isso não é o foco. O foco sempre está no processo de criação, afinal, é na hora do fazer que o artista entra em êxtase! 

Depois colocar em prática:

 

Os alunos precisam saber disso!

Uma verdade que não estará nas apostilas… muito menos em livros didáticos. Mas  educadores que acreditam na educação como fonte de conhecimento, devem  compartilhar essa mensagem!

  • A mentira em que vivemos – Legendado
  • O grande ditador – Legendado.
  • Robert Happé – Não pense sinta

18 de Abril – Dia Nacional do Livro Infantil

O Instituto Akatu divulgou no site essa semana, esse riquíssimo material! Livros infantis sobre a temática da sustentabilidade e conscientização ambiental.

O Dia Nacional do Livro Infantil é comemorado em 18 de abril, dia do nascimento de Monteiro Lobato, um dos mais importantes escritores da literatura infanto-juvenil de nosso país. Aproveitando a data, o Instituto Akatu, por meio do Edukatu, plataforma gratuita e aberta de aprendizagem sobre consumo consciente e sustentabilidade, reforça a importância de os professores incentivarem nas crianças e adolescentes a leitura de livros de consumo consciente e sustentabilidade.

Muitos dos hábitos, conceitos e ideias que aprendemos durante a infância são levados para a fase adulta. “O consumo consciente, a preservação ambiental e a sustentabilidade são conceitos que devem ser trabalhados logo cedo com nossas crianças. Além dos conceitos, os mais novos costumam se espelhar no que fazem os adultos. Por isso, é fundamental que pais e professores, principalmente, deem bons exemplos diariamente. Afinal, valores devem ser partilhados e construídos juntos”, explica Silvia Sá, gerente de educação do Instituto Akatu.

Pensando em dar uma ajuda para professores, educadores, e até mesmo para os pais que querem inserir o tema do consumo consciente e sustentabilidade na educação dos pequenos, o Instituto Akatu selecionou uma lista com 10 livros infantis que podem ser muito úteis nesse momento: – O pequeno príncipe, de Antoine de Saint-Exupéry – O sonho de Lu Shzu, de Ricardo Gómez (Editora Mov Palavras) – Uma festa de cores, de Ronaldo Fraga e ilustração de Anna Göbel (Autêntica Editora) – Contos da natureza, de Dawn Casey (WMF Martins Fontes) – As Cores dos Pássaros, de Lucia Hiratsuka (Editora Rovelle) – Água para todo lado, de Rosana Jatobá (Grupo Plano B) – Será que eu compro?, de Rosana Jatobá (Grupo Plano B) – O homem que amava caixas, de Stephen Michael King (Brinque Book) – Lolo Barnabé, de Eva Furnari (Editora Moderna) – João – o menino mais rico do mundo, de Francisco Abreu (Editora Terceiro Nome).

Além dos livros, que são ótima ferramenta de educação, os professores e educadores podem complementar o processo educacional com as muitas atividades e recursos oferecidos pelo Edukatu. O Edukatu é a primeira rede de aprendizagem sobre os conceitos e práticas do consumo consciente e sustentabilidade para alunos e professores do Ensino Fundamental de todo o Brasil.

No espaço virtual disponível há circuitos de aprendizagem cheios de desafios para os estudantes explorarem, conteúdos exclusivos (vídeos, reportagens, planos de aula, atividades e jogos), além de uma comunidade virtual para trocar ideias com outras escolas.

Fonte:  Instituto Akatu e site www.akatu.org.br

 

CD- Sustentabiliarte no Catarse

Ajude meu sonho de ver muitas crianças felizes, criando e se emocionando ao escutar um simples som da natureza… Muitos educadores poderão desenvolver projetos a partir do estímulo auditivo, unindo música, dança, som e arte!

https://www.catarse.me/CdSustentabiliarte


 

O projeto

O Projeto Sustentabiliarte existe desde 2012, com o fundamento principal de disseminar conscientização ambiental através da arte. No início, era um blog, mas hoje já é um projeto que vem ajudando professores e educadores a elaborarem aulas conscientes, onde não há mais espaço para o desperdício de materiais, mas sim para a reutilização de diferentes suportes, visando à criação de obras artísticas sustentáveis.

Durante o processo criativo nas aulas de arte visuais, música e dança, eu, Gabriela Diaz, fundadora do projeto, coloco sons da natureza, do corpo humano, entre outros barulhos, para criar um ambiente harmônico é criativo, que estimule ao máximo a capacidade cerebral dos alunos. Hoje, a neurociência já atesta que atividades artísticas e musicais são fundamentais para o nosso desenvolvimento cognitivo. Nesse sentido, criei um CD, que foi produzido pelo Produtor musical Gustavo Sola (Red I Station). De inicio, eu utilizava os sons em minhas aulas, e a resposta dos alunos foi tão positiva, os resultados ao longo do ano de 2015 foram tão surpreendentes… Muitas crianças buscaram na mente e no coração sua potencialidade criativa, colocando no papel, na dança e na música suas emoções. E é de experiências emocionais que se vive a arte em suas diversas linguagens! Por isso, decidi, como no caso do blog, disponibilizar gratuitamente e para o máximo de educadores, escolas e professores de São Paulo esse seleto repertório de sons do “Universo”.

O CD será distribuído também em alguns pontos de encontro:

  • Parque Ibirapuera – Domingos em Junho
  • Faculdades com curso de Licenciatura Plena em Artes Visuais
  • E nas oficinas do Sustentabiliarte

Com certeza, quero chegar ao ponto de dividir minha visão com o Brasil Inteiro. Este é o volume I, já está saindo o volume 2, em que poderão ser trabalhados diferentes temas e até mesmo atividades de artes visuais, dança (expressão corporal), relaxamento, yoga, meditação e musicoterapia.

Ajude meu sonho de ver muitas crianças felizes, criando e se emocionando ao escutar um simples som… Muitos educadores poderão desenvolver projetos a partir do estímulo auditivo, unindo música, dança, som e arte!

CD Sustentabiliarte : Tempo&Som&Espaço (Volume 1)

Orçamento

O dinheiro será utilizado para pagar o produtor musical e a prensagem do CD e arte (capa,encarte e arte final).

  • Produtor musical (mixagem + master) : R$ 1.000,00 (valor abaixo do mercado, por apoiar o projeto).
  • CD 1.000 (mil cópias) – R$ 2.500,00
  • Arte: (capa, encarte, arte final) – R$ 500,00
  • Selo independente
  • Distribuição de 1.000 cópias gratuitas ao público educacional.

Mandalas de Areia

Essa aula enfatiza o espírito em equipe e de fato prova aos participantes como é essencial desenvolvermos trabalhos coletivos.

Mandala significa círculo em sânscrito. Aqui, ela designa um diagrama simbólico de uma mansão sagrada, o palácio de uma divindade meditacional, representando todas as qualidades iluminadas. A palavra tibetana para mandala é kyilkhor (tib. dkyil khor), centro-círculo. Cada mandala é associada a uma certa divindade; porém, essas divindades não são “deuses” ou “deusas”, mas budas (tib. sangs rgyas/ sangye), seres iluminados que demonstram sua compaixão, sabedoria e habilidade para liberar todos os seres do sofrimento e levá-los ao despertar.

As mandalas de areia


As complexas mandalas, utilizam diversas cores de areia, que são adicionadas ao esboço geométrico utilizando um instrumento chamado chak-pur. Como uma espécie de funil metálico, nele está a areia, que é liberada a partir da vibração do material ao entrar em contato com uma varinha, que fica na outra mão do monge. Dessa forma, é possível controlar a areia como se fosse um líquido e, a partir disso, colorir a mandala.

Assim que a arte fica pronta, ela é destruída. Parte da areia é distribuída para o público, enquanto que o restante é liberado no rio mais próximo como forma de, simbolicamente, espalhar a paz e a cura mentalizada pelos monges no mundo.

O objetivo, segundo eles, é enfatizar a inconstância da vida.

mandala-de-areia-o-simbolismo-da-arte-tibetana-blog-sobre-budismo

Proposta

De 6 a 14 anos

 

Sempre inicie uma atividade pela roda de conversaassim você poderá saber quem já fez essa atividade anteriormente, dando a oportunidade da criança se expressar oralmente ao dividir sua experiência com o grupo. Nesse momento o professor/educador poderá analisar esteticamente  uma imagem/foto de uma mandala de areia com o grupo, fazer alguns apontamentos pertinentes ao repertório artístico do grupo. Agora elas assistirão a um vídeo educativo, nesse caso, de monges Tibetanos construindo uma mandala de areia, durante o vídeo faça pequenas pausas, e conversem sobre: trabalho em equipe, respeito, tolerância, calma, bondade, concentração, foco, generosidade, determinação e desapego “material”. Valores que serão visualizados no vídeo. Após assistirem, iniciam-se o processo criativo das mandalas, nessa etapa deixem que eles se organizem com o material, veja se o grupo demostra afinidade ou dificuldade  em trabalhar de forma colaborativa. Não esqueça de colocar uma música ambiental! De preferencia a mantras tibetanos (sino tibetano). Ao finalizarem as mandalas… é a hora de cada um falar sobre a experiência adquirida, no fechamento/ exposição o educador poderá fazer diversas perguntas, como: você gostou da música? A textura do material te lembra algo?  Você ficou triste em desmanchar a mandala? Se possível, deixe que eles levem pra casa um pouquinho da mandala, coloque num potinho, ou saquinho e amarre.

Material

  • Areia colorida (pode ser de maisena com anilina)
  • pedrinhas coloridas
  • tampas de pizza
  • saquinho ou potinho para levar
  • música ambiental – sino tibetano

Vídeo educativo

Música Ambiental

Fotos