22 de abril: Dia da Terra

PARABÉNS PLANETA TERRA! NOSSA CASA COMUM…

Tem por finalidade criar uma consciência comum aos problemas da contaminação, conservação da biodiversidade e outras preocupações ambientais para proteger a Terra.

 

A primeira manifestação teve lugar em 22 de abril de 1970. Foi iniciada pelo senador Gaylord Nelson, ativista ambiental, para a criação de uma agenda ambiental. Para esta manifestação participaram duas mil universidades, dez mil escolas primárias e secundárias e centenas de comunidades. A pressão social teve seus sucessos e o governos dos Estados Unidos criaram a Agencia de Proteção Ambiental (Environmental Protection Agency) e uma série de leis destinadas à proteção do meio ambiente.

images

  • Em 1972 se celebrou a primeira conferência internacional sobre o meio ambiente: a Conferência de Estocolmo, cujo objetivo foi sensibilizar aos líderes mundiais sobre a magnitude dos problemas ambientais e que se instituíssem as políticas necessárias para erradicá-los.
  • O Dia da Terra é uma festa que pertence ao povo e não está regulada por somente uma entidade ou organismo, tampouco está relacionado com reivindicações políticas, nacionais, religiosas ou ideológicas.
  • O Dia da Terra refere-se à tomada de consciência dos recursos na naturais da Terra e seu manejo, à educação ambiental e à participação como cidadãos ambientalmente conscientes e responsáveis.
  • No Dia da Terra todos estamos convidados a participar em atividades que promovam a saúde do nosso planeta, tanto a nível global como regional e local.
  • “A Terra é nossa casa e a casa de todos os seres vivos. A Terra mesma está viva. Somos205108_1517274270954_1807413535_928218_1874776_n partes de um universo em evolução. Somos membros de uma comunidade de vida independente com uma magnífica diversidade de formas de vida e culturas. Nos sentimos humildes ante a beleza da Terra e compartilhamos uma reverência pela vida e as fontes do nosso ser…”

Surgiu como um movimento universitário, o Dia da Terra se converteu em um importante acontecimento educativo e informativo. Os grupos ecologistas o utilizam como ocasião para avaliar os problemas do meio ambiente do planeta: a contaminação do ar, água e solos, a destruição de ecossistemas, centenas de milhares de plantas e espécies animais dizimadas, e o esgotamento de recursos não renováveis. Utiliza-se este dia também para insistir em soluções que permitam eliminar os efeitos negativos das atividades humanas. Estas soluções incluem a reciclagem de materiais manufaturados, preservação de recursos naturais como o petróleo e a energia, a proibição de utilizar produtos químicos danosos, o fim da destruição de habitats fundamentais como as florestas tropicais e a proteção de espécies ameaçadas. Por esta razão é o Dia da Terra.

Este dia não era reconhecido pela ONU até 2009, quando a mesma reconheceu a importância da data e instituiu o Dia Internacional da Mãe Terra, celebrado em 22 de abril1 .

Instragram do SUSTENTABILIARTE- @sustentabiliarte

Estamos também no Instagram com muita criatividade e  ideias para alegrar nossos dias!

instagramSiga o Sustentabiliarte:

http://www.oninstagram.com/profile/sustentabiliarte

 

Um espaço para compartilhar

  • AMOR
  • SUSTENTABILIDADE
  • SABEDORIA
  • CRIATIVIDADE
  • ARTE ECOLOGICA
  • ECOLOGIA
  • ARTE
  • EDUCAR
  • MEIO AMBIENTE
  • NATURZA
  • CONSCIENTIZAÇÃO

São Paulo receberá Mostra de cinema com foco em educação e infância

tumblr_inline_n1ap258WJo1rukcnl

 

 

Ciranda de Filmes trará filmes inéditos, nacionais e estrangeiros,
além de rodas de conversa com especialistas.

De 31 de março a 3 de abril, a Ciranda de Filmes, uma co-realização do Instituto Alana, do Circuito Cinearte e da Aiuê Produtora de Conteúdo, com patrocínio do Instituto Alana e Península, vai exibir filmes em três eixos temáticos: nascimento e infância, espaços de aprendizagem e movimentos de transformação.

Com curadoria de Fernanda Heinz Figueiredo e Patrícia Durães, essa é a primeira mostra de cinema focada em educação e infância do Brasil – e uma das poucas do mundo. Na abertura, na noite do dia 31 de março, acontecerá a pré-estreia do documentário “Tarja Branca” – uma produção da Maria Farinha Filmes com direção de Cacau Rhoden – e uma apresentação especial com o artista Antonio Nóbrega, fundador do Instituto Brincante.

Durante o festival também será lançado o Pequeno Fugitivo, filme americano da década de 50, dirigido por Ray Ashley e Morris Engel, citado por François Truffaut como um dos grandes inspiradores da Nouvelle Vague.

Todos os dias haverá uma roda de conversa com a presença de um diretor dos filmes exibidos, além da participação de três especialistas. Maria Amélia Pereira (Péo), pedagoga e fundadora do Centro de Estudos Casa Redonda, Stela Barbieri, educadora, artista plástica e curadora educacional da Fundação Bienal de São Paulo, Renata Meireles, pesquisadora e criadora do Projeto Território do Brincar e German Doin, diretor do filme La Educación Prohibida, são alguns dos especialistas que participarão dessas rodas.

De acordo com Ana Claudia Arruda Leite, do Instituto Alana e que integra a Coordenação Geral da Ciranda de Filmes, “a mostra é um grande caldeirão poético, que pretende nos conectar com a essência da infância e inspirar educadores e pais a construírem experiências ricas em sentido e aprendizado para si e para as novas gerações”.

Mais informações no site: www.cirandadefilmes.com.br

Serviço
Local: Cine Livraria Cultura
Conjunto Nacional
Av. Paulista, 2073, Bela Vista, São Paulo, SP
Tel. (11) 3285-3696

Data: 31/03 a 03/4
Horário: das 9h às 18h
Inscrições gratuitas no link

 

Educação Ambiental – Energia

Neste episódio Vinicius Thess fala um pouco sobre nossa energia! Porque energia tem tudo a ver com o meio ambiente…

E como podemos economizar?

https://www.youtube.com/watch?v=s0g6GWl4GJQ

 

 

História do Dia Mundial da Água

O Dia Mundial da Água foi criado pela ONU (Organização das Nações Unidas) no dia 22 de março de 1992. O dia 22 de março, de cada ano, é destinado a discussão sobre os diversos temas relacionadas a este importante bem natural.

Mas porque a ONU se preocupou com a água se sabemos que dois terços do planeta Terra é formado por este precioso líquido? A razão é que pouca quantidade, cerca de 0,008 %, do total da água do nosso planeta é potável (própria para o consumo). E como pingo-daguasabemos, grande parte das fontes desta água (rios, lagos e represas) esta sendo contaminada, poluída e degradada pela ação predatória do homem. Esta situação é preocupante, pois poderá faltar, num futuro próximo, água para o consumo de grande parte da população mundial. Pensando nisso, foi instituído o Dia Mundial da Água, cujo objetivo principal é criar um momento de reflexão, análise, conscientização e elaboração de medidas práticas para resolver tal problema.

No dia 22 de março de 1992, a ONU também divulgou um importante documento: a “Declaração Universal dos Direitos da Água” (leia abaixo). Este texto apresenta uma série de medidas, sugestões e informações que servem para despertar a consciência ecológica da população e dos governantes para a questão da água.

Mas como devemos comemorar esta importante data? Não só neste dia, mas também nos outros 364 dias do ano, precisamos tomar atitudes em nosso dia-a-dia que colaborem para a preservação e economia deste bem natural. Sugestões não faltam: não jogar lixo nos rios e lagos; economizar água nas atividades cotidianas (banho, escovação de dentes, lavagem de louças etc); reutilizar a água em diversas situações; respeitar as regiões de mananciais e divulgar idéias ecológicas para amigos, parentes e outras pessoas.

Declaração Universal dos Direitos da Água

Art. 1º – A água faz parte do patrimônio do planeta.Cada continente, cada povo, cada nação, cada região, cada cidade, cada cidadão é plenamente responsável aos olhos de todos.

Art. 2º – A água é a seiva do nosso planeta.Ela é a condição essencial de vida de todo ser vegetal, animal ou humano. Sem ela não poderíamos conceber como são a atmosfera, o clima, a vegetação, a cultura ou a agricultura. O direito à água é um dos direitos fundamentais do ser humano: o direito à vida, tal qual é estipulado do Art. 3 º da Declaração dos Direitos do Homem.

Art. 3º – Os recursos naturais de transformação da água em água potável são lentos, frágeis e muito limitados. Assim sendo, a água deve ser manipulada com racionalidade, precaução e parcimônia.

Art. 4º – O equilíbrio e o futuro do nosso planeta dependem da preservação da água e de seus ciclos. Estes devem permanecer intactos e funcionando normalmente para garantir a continuidade da vida sobre a Terra. Este equilíbrio depende, em particular, da preservação dos mares e oceanos, por onde os ciclos começam.

Art. 5º – A água não é somente uma herança dos nossos predecessores; ela é, sobretudo, um empréstimo aos nossos sucessores. Sua proteção constitui uma necessidade vital, assim como uma obrigação moral do homem para com as gerações presentes e futuras.

Art. 6º – A água não é uma doação gratuita da natureza; ela tem um valor econômico: precisa-se saber que ela é, algumas vezes, rara e dispendiosa e que pode muito bem escassear em qualquer região do mundo.

Art. 7º – A água não deve ser desperdiçada, nem poluída, nem envenenada. De maneira geral, sua utilização deve ser feita com consciência e discernimento para que não se chegue a uma situação de esgotamento ou de deterioração da qualidade das reservas atualmente disponíveis.

Art. 8º – A utilização da água implica no respeito à lei. Sua proteção constitui uma obrigação jurídica para todo homem ou grupo social que a utiliza. Esta questão não deve ser ignorada nem pelo homem nem pelo Estado.

Art. 9º – A gestão da água impõe um equilíbrio entre os imperativos de sua proteção e as necessidades de ordem econômica, sanitária e social.

Art. 10º – O planejamento da gestão da água deve levar em conta a solidariedade e o consenso em razão de sua distribuição desigual sobre a Terra.

Dia-Mundial-da-agua-22-de-Marco

Frases sobre o Dia Mundial da Água:

– Água é vida. Vamos usar com inteligência para que ela nunca falte.

– O futuro de nosso planeta depende da forma com que usamos a água hoje.

– Todo dia é dia de água, pois ela está presente em tudo e em todos.

– O Dia Mundial da Água não é só para pensar, mas principalmente para agir: vamos usar este recurso natural com sabedoria para que ele nunca acabe.

– Sem a água não haveria vida na Terra! Pense nisso neste Dia Mundial da Água.

Fonte:

Cola de trigo – Receita

INGREDIENTES

2 xícaras de chá de água

2 colheres de sopa de farinha trigo

1 colher de sopa de vinagre branco

 

MODO DE FAZER:

1. Coloque para ferver 01 xícara e meia de água.

2. Dissolva as 02 colheres de farinha de trigo em 1/2 xícara de água fria.ll

3. Abaixe o fogo e, de uma só vez, derrame na água fervendo a farinha já dissolvida.

4. Vá mexendo sempre, por mais ou menos 10 minutos
(Vai ficar como um mingau, desprendendo-se da panela)

5. Desligue o fogo e acrescente 01 colher de vinagre branco.
( O vinagre tem função antifúngica )

Mexa bem.

 

Se preferir pode passar pelo coador.

Deixe esfriar.

Pode ser guardada na geladeira por mais ou menos 15 a 20 dias, em pote fechado.

 

Dicas:

+ Sem outros aditivos, é muito boa para trabalhar com crianças e químico dependentes.

+ Você pode misturar com um pouco de cola branca.
Ideal para quem usa cola branca a base de PVC em grande quantidade.
Fica ótimo, economiza bastante e ainda preserva o produto.

+ Se você tiver Formol, você pode pingar algumas gotas para substituir o vinagre.

farinha-cola3-290x253

Para essa quantidade pode ser um pouco menos de uma colher de café pequena.
Tenha cuidado ao usar e proteja-se, use um pincel para a aplicação ou luvas e use máscara.
(Vende-se Formol em lojas especializadas e é necessário deixar CPF, RG
e endereço no momento da compra).

+ Você pode misturar com a massa do papel machê no lugar da cola branca.

Eu prefiro a cola branca, mas tem muita gente que usa a cola caseira e gosta.
É só adicionar o antifúngico para preservar.

Divirta-se!!

Fonte:http://www.adrianajardim.com.br/index.php/variedartes/receita-de-cola-de-farinha-de-trigo-grude-cola-caseira.html

Sustentabilidade – o Que É – o Que Não É

Sustentabilidade – o Que É – o Que Não É

livro_sustentabilidade_perspectiva_21_isae
Editora: Vozes
A sustentabilidade representa, diante da crise socioambiental generalizada, uma questão de vida ou morte. O autor faz um histórico do conceito desde o século XVI até os dias atuais, submetendo a uma rigorosa crítica os vários modelos existentes de desenvolvimento sustentável.