Por que desenvolver a Ecopedagogia no ambiente escolar?

ESTE TEXTO FRISA A IMPORTÂNCIA DE EDUCAR PARA CIDADANIA PLANETáRIA.:

Segundo Gadotti (2010), estamos na era do conhecimento e a pedagogia tornou-se a ciência mais importante por promover a aprendizagem. Mas lembremos: somos todos aprendizes. O professor e o estudante aprendem juntos no currículo escolar e ensinam juntos o que descobrem. É preciso vivenciar a ideia de Paulo Freire: todo cidadão precisa passar por um processo educativo capaz de reconhê-lo como um agente transformador de sua própria realidade.plantio_site

Para conseguir socializar princípios e valores que levem professores e alunos a desenvolver este novo processo de esnsino-aprendizagem, é necessário adotar abordagens pedagógicas diferentes daquelas que normalmente são utilizadas, pois nem sempre a estrutura curricular facilita a tarefa de educar para a Cidadania Planetária.

A Ecopedagogia traz uma oportunidade de valorizar habilidades da essência humana e de incorporar uma cultura da sustentabilidade dentro do espaço escolar e, portanto, da sociedade.

Os sistemas educativos separam de tal modo os conteúdos disciplinares que a interdisciplinaridade se torna difícil. Além disso, os sistemas de avaliação baseiam-se, geralmente, num modelo competitivo em que as notas individuais se transformam na principal motivação dos alunos, impedindo assim a promoção de valores tais como a participação e a cooperação.

A Ecopedagogia, segundo Gutiérrez (2008), é um movimento que valoriza a pedagogia da Terra, a ética do cuidado e a cidadania planetária nos processos de educação ambiental, valorizando os princípios da Carta da Terra, documento planetário em prol de uma sociedade mais justa, sustentável, ecológica e pacífica. Nesse contexto, é proporcionada uma estrutura integrada e coerente para desenvolver programas e currículos educacionais que contribuem na busca de conexões e inter-relacionamentos entre as várias dimensões da educação ambiental.

Para iniciar um processo educativo baseado nos princípios da Carta da Terra e permeado pela Ecopedagogia, o site da Carta da Terra sugere:

• Analisar o modo como os padrões decorrentes do comportamento humano podem interferir negativamente no equilíbrio do nosso planeta.

• Refletir sobre o modo como, na maior parte das vezes, o desenvolvimento econômico ignora o seu impacto sobre o ambiente, sobre as relações sociais, sobre a justiça econômica e sobre os processos de democratização.

• Refletir sobre a seguinte pergunta: “Que conhecimento e que competências poderão ajudar os nossos alunos a tomar decisões éticas que promovam a justiça social, a proteção ambiental e a paz?”

PENSE NISSO!

meioambiente_20080710_A

FONTE: http://nativasocioambiental.com.br/blog/desenvolver-ecopedagogia-no-ambiente-escolar/

ECO FALANTE – CINEMA AMBIENTAL DE 1 DE OUTUBRO A 04 NOVEMBRO 2013

QUEM SOMOS

2 MOSTRA ECOFALANTE

A ONG Ecofalante nasceu em 2003, da ação de um grupo de educadores, comunicadores, cineastas e profissionais de diversas áreas do conhecimento científico voltados para questões culturais e sócio-ambientais e para a utilização das novas e disponíveis tecnologias que contribuam para o desenvolvimento sustentável, a preservação e a recuperação do meio ambiente.

A MOSTRA

Criada em 2012 com o objetivo de chamar a atenção da população paulista para questões ambientais, de sustentabilidade, cidadania, governança, participação e políticas públicas, a Mostra Ecofalante de Cinema Ambiental chega à sua segunda edição com diversas novidades.Nossos objetivos principais são apresenZtar ao público uma farta gama de filmes que somem qualidade cinematográfia com análise de questões ambientais e democratizar cada vez mais à população o acesso às discussões propostas.

A 2ª Mostra Ecofalante de Cinema Ambiental é gratuita e este ano conta com maior número de salas, temáticas e filmes contemporâneos e históricos. Outras novidades são a abertura de inscrições para filmes brasileiros – prestigiando nossa produção nacional – e  a transformação da Mostra Infantil na Mostra Escola, fruto de nossa preocupação com o público infantojuvenil e nosso compromisso com a educação – produzida através da parceria com a Comkids.

A edição deste ano conta ainda com sessões especiais durante a virada sustentável, na semana seguinte à mostra principal, e contará com itinerâncias nas cidades de Bauru, Piracicaba e Santos. A realização da 2ª Mostra Ecofalante de Cinema Ambiental só é possível graças ao Programa de Apoio à Cultura – ProAC do Governo do Estado São Paulo, através do qual patrocinam o projeto o Instituto Votorantim, Mondelez Brasil e White Martins. O evento também conta com o apoio da Cinemateca Brasileira, Prefeitura de São Paulo, Secretaria Municipal de Cultura, AES Eletropaulo, Rede Nossa São Paulo, Livraria Cultura, Instituto Akatu, Instituto Ethos, Cinusp e do Programa de Pós-Graduação em Ciência Ambiental – PROCAM  da USP.

OS FILMES

Comissão de Seleção e a Curadoria da 2a Mostra Ecofalante de Cinema Ambiental avaliaram mais de 300 filmes internacionais e 100 BRASILEIROS , entre documentários e ficções, de curta, média e longa-metragem.

Foram selecionados 58 filmes contemporâneos: 42 internacionais (em sua maioria consagrados em festivais como Cannes, Berlim, Rotterdam, Locarno e Sundance) e 16 brasileiros, dos quais vários terão sua estreia durante a Mostra. Os filmes estão organizados em sete eixos temáticos: Água, Cidades, Contaminação, Economia, Globalização, Mobilização, e Povos e Lugares, de modo a destacar as principais questões ambientais que vêm sendo tratadas pelo cinema contemporâneo, permitindo assim um diálogo enriquecedor entre esses filmes.

still1tree_baixa

Nesta edição, o Panorama Histórico ganha um destaque especial com obras que tratam da relação entre o homem e a natureza, de cineastas consagrados como Akira Kurosawa, Ermanno Olmi, Nicolas Roeg, Paul Newman, Werner Herzog, Joris Ivens e Arne Sucksdorff. Complementa a programação a Mostra Escola, voltada para alunos das redes municipais e estaduais de ensino.

BRASIL ORGANICO

O documentário revela histórias de pessoas que têm na produção orgânica uma forte convicção de vida. O roteiro percorre os biomas brasileiros, apresentando a diversidade de ecossistemas, paisagens e culturas. Da pecuáriano Pantanal à produção em larga escala em São Paulo, das frutas tropicais na Caatinga ao extrativismo na Floresta Amazônica; de empresas a agricultores familiares e cooperativas da Região Sul. São histórias e personagens de um país orgânico. Brasil, 2013, 58 min| Direção Lícia Brancher e Kátia Klock | Produção Lícia Brancher | Roteiro Kátia Klock | Fotografia Marx Vamerlatti | Edição Alan Langdo

PROGRAMAÇÃO COMPLETA

http://www.ecofalante.org.br/mostra/programacao/ 

FONTE:

http://mostraecofalante.wordpress.com/

http://www.ecofalante.org.br/mostra/

4º Encontro de Educação Ambiental da Serra dos Órgãos

20, 21 e 22 de setembro

O encontro é organizado pela Câmara Técnica de Educação Ambiental da Serra dos Órgãos e trará debates, oficinas, mostras pedagógicas, música e arte. As inscrições são gratuitas, mas limitadas em 130 vagas. Também são oferecidas vagas de alojamento e acampamento, para participantes que não tenham residência em Teresópolis. Os participantes inscritos não precisarão pagar ingresso para entrar no parque durante os dias de encontro. Para confirmação da inscrição, será dada prioridade aos educadores, estudantes e lideranças comunitárias que tenham atuação na Região Serrana do Estado do Rio de Janeiro.

Inscrições:  (21) 2152-1117 e ctea.conparnaso@gmail.com

Programação e Informações

Data: 20/09/2012

Local: Parque Nacional da Serra dos Órgãos – Teresópolis

Fonte: http://www.microbacias.rj.gov.br/index.jsp