Uma escola diferente: na Suíça, crianças aprendem totalmente ao ar livre. Saiba mais

O que uma escola precisa para ser uma escola? Salas, cadeiras, mesas, professores, alunos? Mais ou menos. Esta escola infantil na Suiça não tem salas, cadeiras e mesas. As crianças que estudam ali e seus professores se sentam na grama da floresta local, brincam e aprendem sempre ao ar livre (inclusive nos dias de inverno).

 

escola-suica

Ali, as crianças são instigadas a transformar a natureza em um espaço para brincar. Além disso, no currículo da escola estão lições de sobrevivência na floresta, e os pequenos aprendem a fazer uma fogueira e a cortar madeira.

A iniciativa vem fazendo tanto sucesso, que virou um documentário chamado ‘School’s Out: Lessons From a Forest Kindergarden’ (na tradução livre: ‘Escola ao ar livre: lições de um jardim de infância na floresta’).

Abaixo você confere o trailer do filme. As legendas são em inglês e, mesmo que você não entenda o que é falado, vale assistir pelas imagens, transmitem muito do clima da escola.

Fonte: https://catraquinha.catracalivre.com.br/geral/aprender/indicacao/uma-escola-diferente-na-suica-criancas-aprendem-totalmente-ao-ar-livre-saiba-mais/

Escola ‘verde’ em Bali é modelo para resto do mundo

Escola sustentável

A Indonésia é dona de 13.667 ilhas. No entanto, Bali figura como, possivelmente, o pedaço mais notório do país. Com aproximadamente 3 milhões de habitantes, o trecho de terra vem mostrando esforços para se tornar um ambiente realmente “verde”. Para isso, anda investindo em sustentabilidade. Um bom exemplo do desempenho de Bali nessa área é a Green School, uma espécie de escola sustentável.

https://i1.wp.com/style.greenvana.com/wp-content/uploads/2011/07/escola-sustent%C3%A1vel-4.jpg

Já à primeira vista, a escola entrega que não é uma instituição de ensino tradicional. Mas isso não significa que os estudantes não estejam aprendendo. Além da boa e velha tabuada, eles têm a oportunidade de entender, através da experiência com o espaço, como tornar um ambiente saudável e mais ecológico.

O quadro negro, assim como as cadeiras, mesas e a estrutura principal, são feitos de bambu. A amplitude das entradas do quiosque de estudos, coberto por sapê, permitem a abundância de luz natural no ambiente. Na região, nada de calçadas, pavimentação e petroquímicos no piso. Para completar o cotidiano mais orgânico das crianças que estudam na escola, os banheiros são compostáveis. Ou seja: nada de água na hora da descarga.

Mas nem tudo deu tão certo. As claraboias de borracha e lona foram destruídas em seis meses por conta da ação do sol. Mas já foram substituídas por outras, feitas de plástico reciclável. John Hardy, responsável pela idealização do projeto, faz questão de frisar às crianças que o mundo não é indestrutível, como muitos homens de seu país pensam.

A escola sustentável tem nove hectares e, ainda, um rio que passa pelo terreno. Ao redor da Green Schooll, as pessoas já estão construindo casas, “verdes”, claro, e trazendo industrias não menos sustentáveis. Como adiantou Hardy, a feliz área em Bali está a caminho para tornar-se uma possível comunidade sustentável.

 

Fonte: http://style.greenvana.com/2011/escola-verde-em-bali-e-modelo-para-resto-do-mundo/