22 de Abril – Dia Internacional da TERRA

Como surgiu o Dia Internacional da Terra?

O Dia da Terra foi criado pelo senador americano Gaylord Nelson.

Em 22 de abrl de 1970, o político convocou o que foi considerado o primeiro protesto contra a poluição. De acordo com dados divulgados na época, mais de 20 milhões de pessoas participaram do ato em todos os EUA.

Foi adotado internacionalmente em 1990, e então é festejado a cada 22 de abril.

O Dia da Terra refere-se à tomada de consciência dos recursos naturais da Terra e seu manejo, à educação ambiental e à participação como cidadãos ambientalmente conscientes e responsáveis.

 

O objetivo principal é conscientizar aos habitantes do planeta Terra a importância e a necessidade da conservação dos recursos naturais do mundo.

Hoje, o Dia da Terra é celebrado em mais de 190 países, com a participação de cerca de 1 bilhão de pessoas.

No Brasil

Não há, no país, organismos que reúnam formalmente as atividades para o Dia da Terra. Entre as ações isoladas para a data destaca-se o lançamento da Carta da Terra, da ONG Carta da Terra Brasil. A entidade elaborou uma carta em que defende o respeito à comunidade da vida; a integridade ecológica; justiça social e econômica; democracia e paz. A íntegra da carta pode ser acessada aqui e pode ser distribuída em ferramentas de redes sociais.

A Carta da Terra Brasil também lança a campanha “Começa com você” que incentiva atitudes de defesa ao meio ambiente.

O NOSSO PLANETA TERRA:

A Terra tem em torno de 4,5 bilhões de anos e existem várias teorias para o “nascimento” do planeta.
A Terra é o terceiro planeta do Sistema Solar, tendo a Lua como seu único satélite natural.
A Terra tem 510,3 milhões de km2 de área total, sendo que aproximadamente 97% é composto por água (1,59 bilhões de km3). A quantidade de água salgada é 30 vezes a de água doce, e 50% da água doce do planeta está situada no subsolo.

Problemática:
A temperatura média da Terra gira em torno de 15º C. Isso ocorre porque existem naturalmente gases, como o dióxido de carbono, o metano e o vapor d´água em nossa atmosfera que formam uma camada que aprisiona parte do calor do Sol. Se não fossem esses gases, a Terra seria um ambiente gelado, com temperatura média de -17º C. Esse fenômeno é chamado de efeito estufa. Não fosse por ele, a vida na Terra não teria tamanha diversidade.

Só que desde a revolução industrial, começamos a usar intensivamente o carbono estocado durante milhões de anos em forma de carvão mineral, petróleo e gás natural, para gerar energia, para as indústrias e para os veículos.

Somente no último século, a temperatura da Terra aumentou em 0,7º C. Parece pouco, mas esse aquecimento já está alterando o clima em todo o planeta.

O homem é o principal responsável por este problema. E é ele que precisa encontrar soluções urgentes para evitar grandes catástrofes.

Atitude artística

Apresentar a carta da Terra  para todas as turmas, formar uma roda de conversa sobre o assunto, enfatizando a problemática atual do planeta e o que podemos fazer, afinal nossa parte começa agora!

Planeta Terra minha Casa!

Obra: coletiva

Técnica de  Recorte e colagem

Materiais

  • revistas usadas, jornal, folhas e retalhos de papéis azuis e verdes;
  • papelão grande (base da composição) cortar em formato circular;
  • Cola branca
  • tesoura para recorta e picar os pedaços de papéis formando o planeta Terra
  • recortar uma palavra positiva para o Planeta, exemplo: cuidar, amar!

Montagem

Uma turma corta os papéis e cola uma parte, outra turma cola a outra…  Assim até formar o planeta de “retalhos” . Depois cada criança  irá colar sua palavra.

Expor num corredor onde todos possam contemplar a obra !

 

 

 

 

Anúncios

Sustentabiliarte tem artigo publicado na Revista UniFreire

Tudo começa com Paulo Freire, falando sobre uma proposta de pedagogia da terra.  Essa sendo publicada pelas mãos de Moacir Gadotti – Pedagogia da Terra (Petrópolis, 2000) um grande conteúdo para a vida, para sanar a vida e integrar-se com a alma!

Com muito prestígio e eterna gratidão a UNI Freire, obrigada!

Por acreditar na ECOPEDAGOGIA como um dos caminhos mais coerentes para a formação educacional, intelectual,  social e emocional do indivíduo.  Afinal, não podemos continuar separando o intelectual do emocional, somos um ser completo a partir do momento que compreendemos que estes conceitos estão entrelaçados. Segregá-los é sim um grande desequilíbrio, a filosofia  considerada o intelectual  um degrau cognitivo superior a experiência sensível e intuitiva, um grande erro. Vemos isso na sociedade atual, totalmente medicamentosa, uma sociedade doente emocionalmente que a cada dia ganha novas categorias de síndromes psiquiátricas. Quem fatura como tudo isso? A indústria farmacêutica, que hoje em dia é uma das mais crescentes no planeta.

Hoje campos de estudos como a neurociência e o neurocientista Richard Davidson vem provando a cada nova descoberta as verdadeiras motivações do ser humano, o que de fato o faz feliz. Seus estudos são  compartilhados com a humanidade  em documentários e palestras mundo a fora.

Rumo à planetariedade, juntos podemos formar cidadãos planetários ! 

A Revista UniFreire é dedicada à publicação de artigos, que tenham como referência os princípios filosóficos, políticos e pedagógicos de Paulo Freire, resultantes de pesquisas, acadêmicas ou não, de reflexões sobre a prática e construção de conhecimentos sobre educação.

CAMINHOS PARA UMA ECOEDUCAÇÃO SUSTENTÁVEL  – Gabriela Maria Diaz

RESUMO

Uma pedagogia que promova a aprendizagem significativa, atribuindo sentido às ações cotidianas, visando à sustentabilidade como eixo principal. Conscientizar a criança sobre o seu papel (no planeta), evidenciando na proposta os problemas atuais e ajudá-la a compreender as questões étnicas, sociais, culturais, políticas, econômicas e ecológicas de uma forma natural, através de diversas atividades para o desenvolvimento autônomo e consciente da criança, a fim de que ela se torne, assim, um futuro cidadão planetário, ciente de que sua casa é o planeta Terra.

As contribuições recebidas são submetidas à avaliação de uma Comissão Editorial que analisa os artigos do ponto de vista da adequação dos mesmos ao perfil e à linha editorial da revista, da pertinência do tema e forma de abordagem do conteúdo. Conheça as normas técnicas para publicação clicando aqui.

O recebimento de artigos ocorre em fluxo contínuo, por meio do e-mail:secretaria@unifreire.org

http://www.paulofreire.org/comunidade-freiriana-revista-unifreire

ESCREVA O QUE TE MOTIVA PARA VER UM PLANETA SUSTENTÁVEL DE VERDADE!