22 de março dia da Água

A água é a seiva de nosso planeta. Ela é condição essencial de vida de todo vegetal, animal ou ser humano. Sem ela não poderíamos conceber como são a atmosfera, o clima, a vegetação, a cultura ou a agricultura.

Num dia tão especial e importante devemos sim fazer ações ambientais e educacionais na escola, vídeos educativos que poderão ajudar o educador nessa tarefa de extrema necessidade.

Usar a declaração como tema para cartazes é fundamental. Uma proposta interessante é dividir em grupos ou cada serie/ano poderia abordar um artigo.

Coloque sua criatividade em ação, nesse caso é conscientização!

DECLARAÇÃO UNIVERSAL DOS DIREITOS DA ÁGUA

Art. 1°– A água faz parte do patrimônio do planeta. Cada continente, cada povo, cada nação, cada região, cada cidade, cada cidadão, é plenamente responsável aos olhos de todos.
Art. 2°– A água é a seiva de nosso planeta. Ela é condição essencial de vida de todo vegetal, animal ou ser humano. Sem ela não poderíamos conceber como são a atmosfera, o clima, a vegetação, a cultura ou a agricultura.
Art. 3°– Os recursos naturais de transformação da água em água potável são lentos, frágeis e muito limitados. Assim sendo, a água deve ser manipulada com racionalidade, precaução e parcimônia.
Art. 4°– O equilíbrio e o futuro de nosso planeta dependem da preservação da água e de seus ciclos. Estes devem permanecer intactos e funcionando normalmente para garantir a continuidade da vida sobre a Terra. Este equilíbrio depende em particular, da preservação dos mares e oceanos, por onde os ciclos começam.
Art. 5°– A água não é somente herança de nossos predecessores; ela é, sobretudo, um empréstimo aos nossos sucessores. Sua proteção constitui uma necessidade vital, assim como a obrigação moral do homem para com as gerações presentes e futuras.
Art. 6°– A água não é uma doação gratuita da natureza; ela tem um valor econômico: precisa-se saber que ela é, algumas vezes, rara e dispendiosa e que pode muito bem escassear em qualquer região do mundo.
Art. 7°– A água não deve ser desperdiçada, nem poluída, nem envenenada. De maneira geral, sua utilização deve ser feita com consciência e discernimento para que não se chegue a uma situação de esgotamento ou de deterioração da qualidade das reservas atualmente disponíveis.
Art. 8°– A utilização da água implica em respeito à lei. Sua proteção constitui uma obrigação jurídica para todo homem ou grupo social que a utiliza. Esta questão não deve ser ignorada nem pelo homem nem pelo Estado.
Art.9°– A gestão da água impõe um equilíbrio entre os imperativos de sua proteção e as necessidades de ordem econômica, sanitária e social.
Art. 10°– O planejamento da gestão da água deve levar em conta a solidariedade e o consenso em razão de sua distribuição desigual sobre a Terra


 

Para ajudar a enfatizar e ilustra as ideias

Aqui tem vídeos para todas as idades! Muitos desenhos estão fazendo sua parte e você, educador?

 

 

 

 

Nações Unidas do Espírito

Durante o mês de dezembro de 2015 em  Eco Yoga Aldea de Varsana, cerca de Bogotá, Colombia, líderes e diferentes membros de comunidades indígenas de América se reunieram, acompanhados por artistas (Chaskis, mensageiros do amor) activistas, vovós, vovôs, onde estavam em la Kiva em templo do  Coração  e da Mãe Terra. Alí se realizou e firmo a declaração de las Nações Unidas do Espírito.

Para maiores informações sobre o conteúdo da Declaração das Nações Unidas do Espírito:

worldconsciouspact.org/es/documentos/con­stitucion-de-las-naciones-unidas-del-esp­iritu/

http://worldconsciouspact.org/

 

CIÊNCIA ESPIRITUAL – DESENHO

Esses vídeos ajudarão a explicar aos alunos um ponto de vista universal sobre diversos assuntos  para nossa própria formação como indivíduo. Devemos nos conhecer para que possamos entender nossa função no Planeta Terra. Assista com o seu coração !

Mas o que isso tem haver com artes?

TUDO!

Na Lição 1, Patchman começa a sua jornada para o desconhecido falando sobre um assunto fundamental. Pensamentos, Emoções e o poder que eles exercem sobre nós. E também, como você pode viver cada momento controlando os seus pensamentos e emoções, orientando você mesmo/a para onde quer ser orientado/a, em vez de permitir que a sociedade moderna lhe diga como você se deve sentir e no que deve pensar.

Tal como você cria a sua realidade, nós também co-criamos as nossas realidades juntos. Nós somos um colectivo! Como uma comunidade, uma cidade, um país e uma espécie, nós decidimos para onde queremos ir e como queremos evoluir. Depende de nós decidir o que vai acontecer na próxima narrativa da raça humana, mas a mudança tem de começar a um nível individual.

 

 

Expressão Corporal

Arte de expressar sentimentos, e dissolver os limites que vão além de gestos …

Toda criança fala muito bem corporalmente… E como fala! para ajudá-las a deixar a timidez no canto da sala, você pode passar uma atividade rica culturalmente e divertida!

Proposta

IMG_0197

Aula de expressão Corporal – Músicas folclóricas pelo mundo.

Desenvolver com: Educação Infantil e Fundamental I

45 minutos

Objetivos

Perder a timidez e ganhar autoconfiança
Conhecer e valorizar as possibilidades expressivas do próprio corpo
Comunicar, através do movimento, emoções e estados afetivos

Escolher um espaço livre, sem carteiras e cadeiras, se na sua escola tem sala de dança, lá será um ótimo lugar, se tiver um jardim grande com gramado extenso, ideal! Eu costumo usar a sala de judô, e a opção que tenho. Busque na internet músicas folclóricas de diferentes lugares do mundo. Ainda em sala de aula, antes de irmos para o espaço onde acontecerá a atividade,  mostre o vídeo que você achou no youtube, fale um pouco sobre a cultura do lugar,seus costumes, mostre no mapa onde fica, qual idioma eles falam (mostre um outro vídeo de pessoas falando o idioma). Após uma breve apresentação, vamos ao local da atividade prática.

Necessário:

  • mapa múndi
  • datashow
  • roupas confortáveis
  • descalços
  • som e músicas folclóricas + música de relaxamento

Lembrando que, os movimentos serão livres, total liberdade de expressão. Deixem que-os façam de acordo com o que sentem, se é a primeira vez do grupo, o professor para obter a atenção e o entusiasmo dos envolvidos, deverá ser o primeiro a apresentar-se, mostre-os de uma forma natural alguns movimentos… Diga aos alunos que venham participar e logo todos estarão em movimento.  Depois de uns dez minutos de performance artística, sente em roda com eles, pergunte sobre o que sentiram, reconhecem alguns instrumentos, quais? Agora diga-lhes que se apresentem individualmente, se ficarem aflitos, passe confiança ao dizer que está tudo bem, todos já se conhecem, não há motivos para se envergonharem uns dos outros. Com muita calma e carisma, você passará a seguranças que eles esperam para ir adiante e se apresentarem.

Nessa hora o bom relacionamento do professor com os alunos é fundamental para obter os resultados esperados e atingir os objetivos.

Após a apresentação individual, se algum aluno quiser ir novamente, deixe que faça, é um estímulo aos demais amigos. Para finalizar, hora do relaxamento, todos de barriga para cima, coloque uma música relaxante e conte-lhes uma pequenina história sobre os povos do local escolhido. No meu caso foi o Vietnã.

Vídeo educativo

 Música Vietnamita

 

 

Mandalas de Areia

Essa aula enfatiza o espírito em equipe e de fato prova aos participantes como é essencial desenvolvermos trabalhos coletivos.

Mandala significa círculo em sânscrito. Aqui, ela designa um diagrama simbólico de uma mansão sagrada, o palácio de uma divindade meditacional, representando todas as qualidades iluminadas. A palavra tibetana para mandala é kyilkhor (tib. dkyil khor), centro-círculo. Cada mandala é associada a uma certa divindade; porém, essas divindades não são “deuses” ou “deusas”, mas budas (tib. sangs rgyas/ sangye), seres iluminados que demonstram sua compaixão, sabedoria e habilidade para liberar todos os seres do sofrimento e levá-los ao despertar.

As mandalas de areia


As complexas mandalas, utilizam diversas cores de areia, que são adicionadas ao esboço geométrico utilizando um instrumento chamado chak-pur. Como uma espécie de funil metálico, nele está a areia, que é liberada a partir da vibração do material ao entrar em contato com uma varinha, que fica na outra mão do monge. Dessa forma, é possível controlar a areia como se fosse um líquido e, a partir disso, colorir a mandala.

Assim que a arte fica pronta, ela é destruída. Parte da areia é distribuída para o público, enquanto que o restante é liberado no rio mais próximo como forma de, simbolicamente, espalhar a paz e a cura mentalizada pelos monges no mundo.

O objetivo, segundo eles, é enfatizar a inconstância da vida.

mandala-de-areia-o-simbolismo-da-arte-tibetana-blog-sobre-budismo

Proposta

De 6 a 14 anos

 

Sempre inicie uma atividade pela roda de conversaassim você poderá saber quem já fez essa atividade anteriormente, dando a oportunidade da criança se expressar oralmente ao dividir sua experiência com o grupo. Nesse momento o professor/educador poderá analisar esteticamente  uma imagem/foto de uma mandala de areia com o grupo, fazer alguns apontamentos pertinentes ao repertório artístico do grupo. Agora elas assistirão a um vídeo educativo, nesse caso, de monges Tibetanos construindo uma mandala de areia, durante o vídeo faça pequenas pausas, e conversem sobre: trabalho em equipe, respeito, tolerância, calma, bondade, concentração, foco, generosidade, determinação e desapego “material”. Valores que serão visualizados no vídeo. Após assistirem, iniciam-se o processo criativo das mandalas, nessa etapa deixem que eles se organizem com o material, veja se o grupo demostra afinidade ou dificuldade  em trabalhar de forma colaborativa. Não esqueça de colocar uma música ambiental! De preferencia a mantras tibetanos (sino tibetano). Ao finalizarem as mandalas… é a hora de cada um falar sobre a experiência adquirida, no fechamento/ exposição o educador poderá fazer diversas perguntas, como: você gostou da música? A textura do material te lembra algo?  Você ficou triste em desmanchar a mandala? Se possível, deixe que eles levem pra casa um pouquinho da mandala, coloque num potinho, ou saquinho e amarre.

Material

  • Areia colorida (pode ser de maisena com anilina)
  • pedrinhas coloridas
  • tampas de pizza
  • saquinho ou potinho para levar
  • música ambiental – sino tibetano

Vídeo educativo

Música Ambiental

Fotos

 

Revista de literatura educacional de sustentabilidade

O conteúdo disponível no post de hoje é de extrema valia para os interessados nos seguintes temas:

  • SUSTENTABILIDADE EDUCACIONAL
  • ECOPEDAGOGIA
  •  CIDADANIA PLANETÁRIA

Esse material é praticamente um presente! Tem tudo o que você educador precisa saber… Ao lê-lo, será difícil conter as emoções, é um lindo trabalho realizado por Alessio Surian.

 O que de fato é uma VIDA SUSTENTÁVEL?

“estilo de vida que harmoniza a ecologia humana e a ambiental mediante tecnologias apropriadas, economias de cooperação e o empenho individual. É um estilo de vida intencional que se caracteriza pela responsabilidade pessoal, serviço aos demais e uma vida espiritual com sentido. Um estilo de vida sustentável relaciona-se com a ética na gestão do meio ambiente e na economia, buscando satisfazer as necessidades de hoje em equilíbrio com as necessidades das futuras gerações”.

Moacir Gadotti (2009, p. 74)

 

REVISTA DE LITERATURA EDUCACIONAL DE SUSTENTABILIDADE


 

Em PDF. no link abaixo:

http://www.forummundialeducacao.org/documentos/sustentabilidade.pdf

Site:

http://www.forummundialeducacao.org/?page_id=1875

ES Logo HiRes

Isoporgravura

 A isoporgravura é uma arte baseada na xilogravura

xilogravura

substantivo feminino
  1. 1.
    arte e técnica de fazer gravuras em relevo sobre madeira.
  2. 2.
    estampa obtida através dessa técnica.
    A técnica mais antiga de gravura é a xilogravura, que foi inventada como um método de impressão sobre tecido na China, no Egito e no Império Bizantino. A técnica alcançou a Europa através dos Impérios Bizantino e Islâmico antes de 1300. O papel chegou à Europa um pouco depois, também vindo da China através da Espanha Islâmica e já era fabricado na Itália.

A técnica de isoporgravura é muito utilizado por arte-educadores, pois ensinar a xilogravura para crianças requer muito cuidado, e dependendo da idade, é quase impossível, pois necessita força e muita atenção ao manusear as goivas!

Proposta


Usando a ponta do lápis para fazer um desenho em uma bandejinha de isopor, afundando o lápis para que ficasse um desenho em baixo relevo, depois passamos com um rolinho um pouco de tinta e pressionamos a bandejinha sobre a folha. Aperte todos os cantos da folha sobre o isopor.

 

ARTISTA PARA REFERENCIAR A AULA


 

Meditação para crianças

Uma proposta que ajudará as crianças a controlarem suas emoções de uma forma sabia e consciente!

Vamos fazer uma aula de meditação para as crianças?

POR QUÊ?

Meditar é uma das maiores artes da vida, talvez a maior de todas!

Meditar é muito mais que focar a atenção em algo concreto, em um pensamento, na respiração ou no próprio corpo. Meditação é a compreensão da totalidade da vida, na qual não existe mais nenhuma espécie de fragmentação.

Ensinar as crianças a prestarem a atenção em um objeto, na sua respiração, nos movimentos do corpo, é um simples exercício, e não podemos dizer que isso é meditação de fato! Esses ” exercícios” ajuda a criança a focar sua atenção, propiciando calma, concentração e autocontrole de suas emoções… Para que futuramente, ela por si só, descubra o que é meditar. Ter uma mente livre e consciente.

Meditação não é o controle do pensamento, porque, quando o pensamento é controlado, gera conflito na mente, mas, quando se compreende a estrutura e a origem do pensamento, o pensamento então não mais interfere. Essa compreensão da estrutura do pensar é a sua própria disciplina, que é meditação.

Meditação é estar cônscio de cada pensamento de cada sentimento, nunca dizer que ele é certo ou errado, porém simplesmente observar e acompanhar seu movimento. Nessa vigilância, compreender o movimento total do pensamento e do sentimento.

KRISHNAMURTI

Para que serve a meditação para as crianças


 

Ajudar a compreender seus pensamentos e sentimentos, uma ferramenta de autoconhecimento. Meditar é uma das maiores artes da vida. E estimular a criança a essa prática é fundamental, se queremos ver crianças, felizes e conscientes.

“Quando aplicada corretamente, a meditação ensina a criança a ter autocontrole”, diz a psicóloga norte americana Deborah Rozman, autora de Meditação para Crianças. Segundo ela, estudos comprovaram que a meditação ajuda pequenos muito inquietos a controlar o temperamento.

Achei na internet uma lista de benefícios da meditação, escritas por Patricia Diaz:

1. Será mais responsável, tanto das suas coisas materiais como das suas emoções, da sua vida e da sua felicidade.

2. Gostará mais de si mesmo.

3. Poderá se concentrar melhor ao ser capaz de focar sua atenção no que deseja, sem cair em distrações.

4. Terá menos ansiedade e menos estresse.

5. Dormirá melhor.

6. Será menos impulsivo.

7. Terá mais autoestima, e mais segurança em si mesmo.

8. Melhorará o seu rendimento acadêmico.

9. Melhorará o controle das suas emoções.

10. Melhorará suas relações sociais. Mostrará mais empatia e gratidão.

11. Melhorará o seu sistema imunológico.

12. Será menos violento.


Atividade- Exercício de Respiração

Faixa etária: A partir de 6 anos.

Os objetivos são diversos, porém o principal é o autoconhecimento.

Proposta



 image1 (1)

Em um ambiente arejado, limpo e  aconchegante, com os pés descalços e livres, formar um círculo com as crianças e explicar a elas sobre a meditação, necessário que o educador já tenha praticado alguns exercícios, ou seja simpatizante dessa prática. Após a explicação, deixem que eles busquem a melhor posição para relaxar e prestar a sua total atenção na respiração. Agora você direciona as técnicas de respiração ao grupo. Temos essa dica de atividade:

“Em Los Angeles, nos Estados Unidos, existe uma fundação chamada Inner Kids. Uma das atividades desenvolvidas por eles é uma prática de relaxamento com atenção na respiração em que as crianças ficam deitadas com um ursinho de pelúcia sobre a barriga. Isso ajuda a treinar a atenção para a respiração abdominal. Como o foco é o movimento do ursinho sobre a barriga, as crianças tendem a se manter ligadas na prática”

image2 (1).jpeg

 

 

 

 

CRIATIVIDADE & SILHUETAS

😘❤️✅🌐🌈Vamos começar a história…

Essa atividade é muito divertida… Primeiro iremos dividir as crianças em dois grupos ou quantos forem necessários. Diga para as crianças desenharem as silhuetas umas das outras no chão, lembrando que elas terão que inventar uma história a partir das silhuetas desenhadas no chão!
O objetivo é fazer com que as crianças criem e aprendam a narrar histórias em público, usando toda sua imaginação e aprendendo a trabalhar em grupo.
Estimular a criança a falar em público ajuda desenvolver sua locução verbal e vencer a sua timidez  (caso haja resistência pela criança, respeite, aos poucos ela participará). Por isso, digo que realize atividades como essa sempre que possível.  Pois na fase entre 6 a 12 anos muitas crianças não são expostas a “desafios” aonde elas terão que apresentar uma proposta verbal. Atividades focadas nessa proposta (apresentação verbal) ajudam muito, para que futuramente a criança desenvolva um repertório vocal rico e consciente. Deixando para traz traumas e a timidez, que muitas vezes, devem ser  “quebrada” nessa etapa da vida, na construção de valores, bem, entre os 6 até os 12 anos de idade.
 #sustentabiliarte #sustentabilidade #sostenible #arteecologica #arte #sustainability #artesustentavel #artkids #art #artchildrem  #natureza #educacao
#educar  #vida #life #nature #suatentavel #reciclar #reaproveitar #reutilizar #ecologia #planetaterra #neurociencia
#ecopedagogia #eco  #ecoart

Chinelos velhos viram brinquedos na África e já tiraram mais de 400 toneladas de lixo do Oceano

Iniciativas esperançosas em busca de soluções sustentáveis para nosso Planeta, além de beneficiar o ecossistema, esse projeto ajuda a comunidade local. Exemplos assim devem ser compartilhados, conscientizando os demais cidadães da TERRA.

tartarugas-chinelos-praia-reciclagem

Passeando pelas praias da costa leste da África, você pode se deparar com esculturas coloridas de elefantes, javalis, rinocerontes, leões e girafas, algumas em tamanho real, feitas com chinelos de borracha velhos encontrados no mar.

Por Daniel Froes

A transformação desses materiais em peças de arte e moda é ideia da empresa Ocean Sole. Com sede em Nairóbi, capital do Quênia, o negócio reaproveita sandálias velhas e outras peças de borracha encontradas nas praias do país. O resultado do trabalho são criações lúdicas que chegam a ser vendidas para jardins zoológicos, aquários e lojas de nicho de 20 países.

“A poluição em todos os nossos cursos de água é um grande problema”, diz Church, nascida e criada no Quênia. “Os rios estão entupidos com plástico e borracha”, ela acrescenta. “Quando as pessoas dizem que o oceano é uma sopa de plástico, é porque o plástico não vai embora – ele só se decompõe em partes menores”.

Segundo os cientistas, o tempo de decomposição desses resíduos varia de 100 a 600 anos. Em grandes quantidades no fundo dos oceanos, são alguns dos principais vilões da vida marinha, responsáveis pela morte de peixes, crustáceos e outras espécies.

Como tudo começou

Em 1997, Church trabalhava num projeto de preservação de tartarugas marinhas na ilha de Kiwayu, na fronteira do Quênia com a Somália.

Na época, Church ficou chocada com uma cena desoladora: praias inundadas por objetos de plástico que obstruiam a chegada das tartarugas aos seus locais de desova.

Mas foi lá também que ela viu crianças da região fazendo brinquedos com o lixo retirado do mar. Nesse dia, ela decidiu fundar uma empresa focada na solução de um problema ambiental grave.

Church pensou que poderia ajudar a limpar as praias e, ao mesmo tempo, impulsionar o desenvolvimento econômico e social daquela comunidade, incentivando moradores locais a recolher, lavar e processar materiais recicláveis para terem uma renda.

Fonte:  http://www.geledes.org.br/chinelos-velhos-viram-brinquedos-na-africa-e-ja-tiraram-mais-de-400-toneladas-de-lixo-do-oceano/