No dia 6 de fevereiro é comemorado o Dia do Agente de Defesa Ambiental,

No dia 6 de fevereiro é comemorado o Dia do Agente de Defesa Ambiental, homenageando aqueles que trabalham pela proteção do nosso meio ambiente e pelo desenvolvimento sustentável.

Mas o que é meio ambiente? É o conjunto de condições e componentes físicos, químicos e biológicos que possibilitam, regem e abrigam a vida em todas as suas formas. É toda a natureza que nos cerca, nos envolve, inclusive nós mesmos e nossa relação com o mundo em que vivemos. Tudo está interligado – pessoas, animais, florestas, rios, lagos, oceanos, cidades, além do ar que respiramos.

imagem

Qual a função do Agente de Defesa Ambiental? É responsável por fiscalizar, resolver e propor atividades e obras para a conservação e prevenção do meio ambiente, através de vistorias, estudos técnicos de locais, análise de processos e avaliação de impactos, visando o cumprimento da legislação ambiental. Esse profissional promove a educação, orientando o público sobre os cuidados existentes para garantir a preservação do meio ambiente, e o seu controle de qualidade. Além disso, é sua função garantir o correto funcionamento do sistema de vigilância, monitoramento e coibição de infratores, e combater os danos causados pelo homem, à natureza.

 

 

Fonte: http://cultivehortaorganica.blogspot.com.br/2013/02/06-de-fevereiro-dia-do-agente-de-defesa.html

Publicidade

Recicla ou Não Recicla – Aplicativo

A gente sabe que reciclar é importante para economizar energia e matérias-primas, desafogar os aterros e gerar oportunidade de renda. 

Mas tudo é reciclável? E o barbeador? A maquiagem antiga? E as fraldas usadas do neném?

screen322x572

Baixe o Aplicativo:

https://itunes.apple.com/us/app/recicla-ou-nao-recicla/id990826908?l=pt&ls=1&mt=8

07 de abril — Dia Mundial da Saúde

No dia 07 de abril comemora-se o Dia Mundial da Saúde, uma data criada com a finalidade de conscientizar a população a respeito dos vários aspectos que envolvem a saúde.

Muitas pessoas consideram-se saudáveis quando estão sem nenhuma doença, porém, a falta de enfermidades não significa saúde. Dizer que uma pessoa está saudável requer a análise de um conjunto de fatores, tais como a qualidade de vida e aspectos mentais e físicos.

Em 1946, a Organização Mundial de Saúde aprovou um conceito que visava ampliar a visão do mundo a respeito do que seria estar saudável. Ficou definido então que “a saúde é um estado de completo bem-estar físico, mental e social e não apenas a ausência de doença ou enfermidade”.

De acordo com esse conceito, percebemos que saúde não é um estado fácil de ser alcançado, uma vez que nem todas as pessoas conseguem viver sem tristezas, sem preocupações e interagindo com o restante da sociedade de maneira harmoniosa. A saúde deve ser vista como uma forma de total bem-estar, que é conseguido não só através do tratamento de doenças ou sua prevenção, mas sim através de qualidade de vida.

De acordo com a lei 8.080 de 1990, a saúde é um direito fundamental do ser humano, devendo o Estado prover as condições indispensáveis ao seu pleno exercício. A lei também enfoca que, para ter saúde, alguns fatores são determinantes, tais como a alimentação, a moradia, o saneamento básico, o meio ambiente, o trabalho, a renda, a educação, a atividade física, o transporte, o lazer e o acesso aos bens e serviços essenciais.

Percebe-se, portanto, que todos os fatores, por mais irrelevantes que possam parecer, afetam a vida de um indivíduo e, consequentemente, a sua saúde. O papel do Estado para garantir o bem-estar da população é fundamental, pois é ele o responsável por garantir a qualidade de vida de cada indivíduo.

No dia 07 de abril comemora-se o Dia Mundial da Saúde, data criada em 1948 pela Assembleia Mundial da Saúde que tem como objetivo conscientizar a população a respeito da qualidade de vida e dos diferentes fatores que afetam a saúde populacional. Essa data foi estabelecida para coincidir com a data de fundação da Organização Mundial da Saúde.

Todos os anos campanhas são realizadas a respeito de um tema diretamente relacionado com a saúde. Essas ações são importantes para que a população aprenda a se cuidar e informe-se sobre seus direitos quando o assunto é promoção da saúde.

É fundamental que, além de cuidarmos da nossa saúde, participemos da luta por melhorias em nosso país. Vale destacar que não devemos procurar melhorias apenas em hospitais, devemos lutar por mais segurança, educação, lazer, cultura, entre vários outros direitos básicos e fundamentais para o nosso completo bem-estar.

fonte: Brasil Escola

Consciente Coletivo – Instituto Akatu

Em 10 episódios, a série Consciente Coletivo faz reflexões, de forma simples e divertida, sobre os problemas gerados pelo ritmo de produção e consumo de hoje. Entre os assuntos estão sustentabilidade, mudanças climáticas, consumo de água e energia, estilo de vida, entre outros, que permeiam o universo da consciência ambiental. O projeto é uma parceria entre o Instituto Akatu, Canal Futura e a HP do Brasil.

Pessoas materialistas são mais infelizes, diz estudo

Não importa quanto as tecnologias de mapas e GPS avancem, encontrar a felicidade nunca será uma tarefa fácil. Mais: nunca haverá só um caminho possível.

O curioso é que algumas pessoas têm uma facilidade muito grande em associar a felicidade com bens materiais, de forma que “quanto mais coisas eu tenho, mas feliz eu sou”. Será mesmo?

 

De acordo com um estudo realizado pelos pesquisadores da Universidade Baylor, nos Estados Unidos, as coisas não funcionam bem assim. Aliás, é o contrário. Segundo o estudo, publicado na revista americana Personality and Individual Differences, pessoas materialistas são mais propensas a serem deprimidas e insatisfeitas com a vida, em grande parte porque acham mais difícil ter gratidão pelo que elas têm.404247112-comprar-quase-nunca-e-saida

Jo-Ann Tsang, autora principal do estudo, intitulado “Porque materialistas são menos felizes? O papel da gratidão e necessidade de satisfação na relação entre materialismo e satisfação com a vida”, professora associada do núcleo de psicologia e neurociência da Universidade Baylor, explica melhor: “A gratidão é um estado de espírito positivo. Trata-se das outras pessoas. Pesquisas anteriores feitas por nós e outras equipes mostram que as pessoas são motivadas a ajudar quem as ajuda – e a ajudar os outros também. Nós somos criaturas sociais e assim nos concentramos em outras pessoas de uma forma positiva que faz bem à nossa saúde”.

Mas, quando uma pessoa é materialista, ela não segue essa lógica. Pessoas materialistas tendem a ser centradas nelas mesmas. e apenas nelas.

E como isso explica o fato de pessoas assim serem mais infelizes?

“Nossa capacidade de adaptação a novas situações pode ajudar a explicar porque ter mais coisas não nos faz mais feliz”, disse o coautor do estudo, James Roberts, professor da Escola de Negócios da Universidade de Baylor.

“À medida que acumulamos mais e mais bens, nós não ficamos mais felizes. Nós simplesmente aumentamos o nosso ponto de referência”, disse ele. É como se nos acostumássemos muito rápido a um novo padrão de vida. E, assim, imediatamente passamos a querer algo mais.

Vamos supor que você tenha sonhado a vida toda em ter uma casa grande e depois de muito trabalho, conseguiu comprar uma. “Essa nova casa de 2.500 metros quadrados, então, se torna a base para nossos desejos de ter uma casa ainda maior”, exemplifica o professor. Isso se chama “esteira de consumo”. Continuamos a comprar cada vez mais coisas, mas nunca chegamos mais perto da felicidade. Adquirir mais bens só acelera cada vez mais a tal da esteira.

Amostra

Os resultados do estudo foram baseados em uma análise de 246 membros do departamento de marketing de uma universidade particular de médio porte localizada no sudoeste dos Estados Unidos, com uma idade média de 21 anos entre os estudantes que participaram da amostra. Cada um deles respondeu um questionário de 15 minutos, usando uma escala de 15 itens de materialismo.

Pesquisas anteriores sugerem que os materialistas são, em geral, menos satisfeitos com suas vidas. Eles são mais propensos a serem infelizes e têm baixa autoestima. Também são mais propensos a serem menos satisfeitos com suas relações e menos envolvidos em causas sociais.

Enquanto isso, aqueles que são mais gratos pelo que conquistaram têm mais probabilidade de encontrar mais sentido na vida e serem, assim, mais felizes.

 

É como diria o filósofo grego Epicuro: “Não estrague o que você tem desejando o que não tem. Lembre-se que o que você tem agora é o que um dia você sonhou”

FONTE: http://hypescience.com/pessoas-materialistas-sao-mais-infelizes-diz-estudo/

Globalização e consumo desenfreado

Dicas e curiosidades sobre o nosso consumo, nada sustentável, que vem detonando o nosso Planeta Terra!

Atitudes conscientes podem salvar a humanidade, isso é ser sustentável!

ECOanimAÇÃO Cultura Ambiental e Sustentabilidade

A ECO AnimAÇÃO,  oferece cursos online de SOCIEDADES SUSTENTÁVEIS E EDUCAÇÃO PARA O CONSUMO E CIDADANIA AMBIENTAL e oferece ferramentas de comunicação para realizar atividades individuais e em grupo, se comunicar e trocar experiências de forma assíncrona e síncrona com os colegas da turma e o professor tutor.

O século XXI começa em meio de uma emergência sócio-ambiental que promete se agravar se mantivermos as tendências atuais; uma problemática profundamente enraizada na cultura, nos valores, nos supostos epistemológicos, e no conhecimento, que configuram o sistema político, econômico e social que vivemos. Uma crise do ser, que se manifesta em toda sua plenitude, nos espaços internos ao sujeito, nas condutas sociais auto-destrutivas; e nos espaços externos, a degradação da natureza e da qualidade de vida das pessoas.

A humanidade tem chegado a uma encruzilhada que lê exige examinar-se e intentar encontrar novas trilhas, reflexionando sobre a cultura, as crenças, valores e conhecimentos em que se baseia seu comportamento cotidiano. Uma cultura na qual a educação tem uma enorme influência, devido a seu caráter produtor e reprodutor de saberes e valores sociais vigentes; por isso, a educação não pode nem deve estar alheia a este processo de busca de alternativas socioambientais.

A educação deve produzir seu próprio giro copernicano focando-se em formar as gerações atuais, não só para aceitar a incerteza, mas também para gerar um pensamento complexo e aberto as indeterminações, a mudança, a diversidade, a possibilidade de construir e reconstruir em um processo continuo de novas leituras e interpretações do mundo.

Este ambiente online dá acesso aos cursos SOCIEDADES SUSTENTÁVEIS E EDUCAÇÃO PARA O CONSUMO E CIDADANIA AMBIENTAL e oferece ferramentas de comunicação para realizar atividades individuais e em grupo, se comunicar e trocar experiências de forma assíncrona e síncrona com os colegas da turma e o professor tutor.

Esperamos que este seja o começo de uma jornada que possibilite começar a dar respostas aos nossos alunos, jovens que estão, como muitos de nos, buscando alternativas que possibilitem enxergar um futuro.

Achamos que um bom começo para esta jornada é refletir sobre Discurso de Severn Suzuki na ECO de 1992, no Rio de Janeiro. Uma mensagem de uma criança de 13 anos destinada aos adultos. Uma mensagem que como professores não podemos ignorar.