Escola é refeita com containers para ensinar sustentabilidade

Ao completar 50 anos, a pré-escola Ogura Asahi , que fica em Saitama, no Japão, precisou fazer uma reforma para se adaptar às normas de segurança contra terremoto. As mudanças necessárias foram também uma oportunidade para transformar o espaço em uma verdadeira aula (e exemplo) de sustentabilidade.

Na reforma, o que era possível de ser mantido da estrutura anterior permaneceu, e o restante foi refeito com containers reaproveitados -isso para demonstrar às crianças a importância da eficiência no uso de materiais e recursos naturais.

As árvores que existiam no terreno também foram preservadas no projeto, permanecendo em locais onde as crianças pudessem ver e brincar.

A nova estrutura da escola agora é composta por espaços abertos e conectados, para que todos, adultos e crianças, possam ver e valorizar todas as atividades que acontecem no local, além de integrarem os espaços cobertos aos abertos.

Confira imagens do local:

O aprendizado e a reflexão sobre sustentabilidade começam com a estrutura da escola.

O aprendizado e a reflexão sobre sustentabilidade começam com a estrutura da escola.

O aprendizado e a reflexão sobre sustentabilidade começam com a estrutura da escola.

O aprendizado e a reflexão sobre sustentabilidade começam com a estrutura da escola.

Fonte: https://catraquinha.catracalivre.com.br/geral/aprender/indicacao/escola-e-refeita-com-containers-para-ensinar-sustentabilidade/

Anúncios

Escola cria campanha de financiamento para tornar-se sustentável

O coletivo Organicidade e a Morada da Floresta foram procurados pelo Centro de Educação Infantil – CEI Jamir Dagir, localizada na zona oeste de São Paulo, em busca de apoio técnico para se tornar uma instituição exemplar em práticas sustentáveis.

Foi aí que surgiu a oportunidade de implementar uma proposta pedagógica que inclua a questão ambiental e que contribua para mudar atitudes e hábitos rumo a uma cultura de maior sustentabilidade. Isto quer dizer: possibilitar que as crianças de zero a três anos se desenvolvam plenamente por meio do contato livre e direto com a natureza, criar espaços educadores sustentáveis, implementar boas práticas como a compostagem de 100% dos resíduos orgânicos da escola e disseminar estas iniciativas à toda comunidade escolar por meio de parcerias.

Parquinho do CEI Jamir Dagir.

Para fazer com o projeto se torne realidade, o coletivo criou uma campanha de financiamento coletivo na plataforma Catarse.  A meta é arrecadar R$ 14.300.

  • Clique aqui para apoiar.

Com o dinheiro arrecadado, serão oferecidas oficinas de educação ambiental e criado um sistema de reciclagem dos resíduos orgânicos com professores e crianças para ensinar a importância do contato com a natureza. Entenda aqui as etapas e como o trabalho será realizado.

“Iniciar este projeto ignifica reconhecer e honrar a escola como polo irradiador de uma cultura de sustentabilidade. Honrar a criança que, por viver no mar de concreto que é São Paulo, acaba se distanciando de sua essência; criança é natureza”, afirmou o coletivo.

FONTE: https://catraquinha.catracalivre.com.br/geral/aprender/indicacao/escola-cria-campanha-de-financiamento-para-tornar-se-sustentavel/

Brincar é universal: brincadeiras tradicionais de vários estados

Elástico, corda, esconde-esconde, pião, amarelinha, casinha e pega-pega. Essas brincadeiras já fizeram parte da sua infância e provavelmente ainda fazem parte da vida dos seus filhos. Mas você sabia que cada região possui uma brincadeira típica?

Uma criança que mora em São Paulo provavelmente não brinca das mesmas coisas que uma criança de do Ceará, Espirito Santo e Acre, mas existem brincadeiras que resistiram ao tempo e atravessaram gerações. Para provar isso, alguns projetos já se dispuseram a documentar e difundir as brincadeiras das diversas regiões do Brasil. É o caso do “Mapa do Brincar” e do “Território do Brincar” que viajaram o país para documentar as culturas da infância.

Para que essas brincadeiras não caiam em extinção e sigam encantando crianças e adultos, Catraquinha e Passatempo sugerem uma lista de brincadeiras tradicionais para conhecer e brincar. Relacionar-se com essas brincadeiras é importante para conhecer de onde viemos e a cultura de cada região.  As crianças aprendem, ainda, a dividir, cooperar, ganhar ou perder.

Brincadeiras de vários cantos do país.

Confira

Região Norte
Batatinha frita – brincadeira do Rio Branco, no Acre

Todos pulam e cantam a música “Batatinha frita/Frita na manteiga, 1, 2, 3 / Se mexer vai para o xadrez”. Quando ela termina, as crianças têm que ficar como estátuas, porque quem se mexe sai da brincadeira e vai para o xadrez. Ganha quem conseguir ficar completamente parado até a música começar de novo.

Região Nordeste
Brincadeira de Elástico

Em Acupe (BA), o elástico é feito com vários pedaços de pano amarrado. Dá para brincar com duas, três, quatro ou mais pessoas. É preciso ter agilidade para saber o momento exato que de deve saltar, pisar e enroscar os pés no elástico. Confira o vídeo registrado pelo Território do Brincar.

Região Sudeste
Múmia em ação – brincadeira que se originou em Pontalinda, São Paulo

Um participante vai jogando a bola para o outro e ninguém pode deixar a bola cair. Quando uma pessoa deixa a bola cair pela primeira vez, ela fica “doente”.
Se deixar cair uma segunda vez, ela “morre”. Na terceira vez, a pessoa “vira a múmia”. Quem vira múmia tem que pegar a bola e tentar acertar algum participante. Se ela acertar, o participante que foi queimado sai da brincadeira. Se errar, quem sai é a múmia. Quem ficar por último ganha o jogo.

Região Sul
Jogo da memória – brincadeira que se originou em Porto Alegre, Rio Grande do Sul

Um participante começa dizendo uma frase como “Eu pulo corda”. O próximo tem que repetir a frase e acrescentar outra informação: “Eu pulo corda e jogo bola”. O terceiro repete tudo e acrescenta mais alguma coisa: “Eu pulo corda, jogo bola e pulo amarelinha”. Quem errar a sequencia sai da brincadeira.

Região Centro Oeste
Rei da Lata – brincadeira que se originou em Ponta Porã no Mato Grosso do Sul

Em volta de um poste, o grupo de jogadores desenha um círculo, que será o mundo. Depois, eles colocam uma lata dentro do círculo. Um dos participantes chuta a lata longe. A criança que foi escolhida para ser o pegador vai buscá-la e volta de costas. Enquanto isso, os outros se escondem. Quando o pegador acha alguém, ele pega a lata e bate no poste, dizendo “1, 2, 3, e o nome da pessoa”. Para salvar todos, um dos jogadores que estavam escondidos precisa chegar até a lata antes do pegador, tirá-la do chão e bater no poste três vezes dizendo “salve, salve”.

Todas as regiões
Brincadeiras de palmas

De forma ritmada e alegre, o desafio de coordenar palmas, canto e brincadeira com um ou mais amigos é universal. O Território do Brincar registou as diversas brincadeiras de bater palma. Confira o vídeo.

Fonte: https://catraquinha.catracalivre.com.br/brasil/manual-de-brincadeiras/indicacao/brincar-e-universal-brincadeiras-tradicionais-de-varios-estados/

 

EcoYoga

Yoga é, sem dúvida, um alinhamento entre o cognitivo, o motor e o emocional!

 

 Uma metodologia que abrange conceitos sustentáveis para conscientizar os alunos em sua proposta. Utilizando os elementos da natureza e do universo com o tema das aulas.

A cada dia novas escolas incluem essa prática em seu currículo escolar!

A EcoYoga trabalha a mente e o corpo, com as posturas (asanas), os pranayamas (exercícios de respiração), a reflexologia podal, a meditação e o relaxamento. Isso tudo para oferecer os benefícios dessa prática, mesmo que não se aborde a mitologia hinduísta e seus princípios.

Os benefícios do Yoga por GoodFit:

1. Melhorar a consciência corporal: As posturas de yoga variam entre equilíbrio, força, torções, flexões e inversões. Todas as posturas fazem as crianças aprenderem sobre o seu próprio corpo, ensinando-lhes a perceber e sentir os movimentos. A consciência do corpo é uma ferramenta valiosa para todas as fases e idades da vida.

2. Favorecer a flexibilidade e fortalecimento ósseo e muscular: As posturas ajudam no desenvolvimento ósseo e muscular, auxiliando no crescimento, além disso, ter força e flexibilidade, prevenido lesões articulares futuras.

3. Desenvolver habilidades motoras: A yoga melhora o equilíbrio e estabilidade, e desenvolve a coordenação. Ao desenvolver habilidades motoras, as crianças têm um maior sentido de espaço físico e espaço-temporal.

4. Aumentar a concentração: A movimentação de uma postura para outra, requer foco e autocontrole. Isso permite que as crianças aumentem sua concentração e consciência corporal, que é essencial para qualquer tipo de aprendizagem.

5. Elevar autoestima e confiança: As posturas investidas e de equilíbrio, precisam de força, flexibilidade e foco; Isso faz com que as crianças passem a acreditar em suas capacidades, e não desistam dos seus objetivos e suas verdadeiras habilidades. A persistência para alcançar uma postura de yoga, gera autoconfiança em todos os momentos da vida.

6. Viver o momento presente: A filosofia do Yoga ensina a ter a consciência do momento presente, pois quando a nossa mente está pensando no passado ou no futuro, não conseguimos perceber o nosso mais valioso tempo: o agora. Quando as crianças estão envolvidas nas posturas, elas estão com foco no agora, e aprendem a levar a consciência do momento presente ao longo de suas vidas.

7. Cultivar um estado relaxado de corpo e mente: todas as aulas de yoga possuem um momento de quietude e relaxamento. Mesmo que seja apenas por alguns minutos, as crianças aprendem a compreender a importância dessa quietude interior, sentindo seus benefícios, e acabam levando esse aprendizado para suas vidas diárias.

8. Ter disciplina e responsabilidade: Quando as crianças percebem os benefícios de uma prática regular, e que suas realizações não são imediatas, elas aprendem que os resultados dependem de disciplina e responsabilidade.

9. Controlar emoções: Praticar yoga oferece as crianças uma saída imediata para reduzir o stress. É um exercício físico que é ativo e relaxante ao mesmo tempo, e produz endorfinas (hormônios que causam prazer). Os exercícios de respiração aliado às técnicas de relaxamento, são fontes poderosas para acalmar a mente, o corpo, e controlar as emoções. A aula de Yoga ensina o não julgamento e a não competição em direção a si mesmo e aos outros. São ferramentas que uma criança pode carregar em qualquer situação difícil da sua vida.

10. Diminuir a ansiedade: Yoga é uma prática muito eficaz para crianças com transtornos de ansiedade, pois acalma sua mente, que por sua vez, alivia a resposta do corpo ao stress, abrandando as excitações fisiológicas.

11. Aumentar a criatividade: Aulas de yoga para crianças são temáticas e lúdicas, convidando as crianças a explorarem sua própria criatividade e usar a sua imaginação sem limites e sem julgamento, expressando suas experiências e fazendo suas próprias posturas de maneira livre e criativa.

12. Interagir Socialmente: Aulas de Yoga ensinam às crianças que somos todos iguais, independentemente de aparência, etnia e religião. Todos nós temos corpos que funcionam, corações que ama, e sentimentos que sentem. As posturas realizadas em duplas, permitem que as crianças compreendam completamente o conceito de unidade e trabalho em conjunto, inspirando as crianças a serem gentis, pacientes, aceitando e respeitando as dificuldades entre eles e seus pares.

Yoga para vida!

 

 

22 de Abril – Dia Internacional da TERRA

PLANETA TERRA, GAIA, PACHAMAMA É A NOSSA CASA, CUIDE DELA!

 

Como surgiu o Dia Internacional da Terra


Terra_teka_03
O Dia da Terra foi criado pelo senador americano Gaylord Nelson.
Em 22 de abrl de 1970, o político convocou o que foi considerado o primeiro protesto contra a poluição. De acordo com dados divulgados na época, mais de 20 milhões de pessoas participaram do ato em todos os EUA.
Foi adotado internacionalmente em 1990, e então é festejado a cada 22 de abril.
O Dia da Terra refere-se à tomada de consciência dos recursos naturais da Terra e seu manejo, à educação ambiental e à participação como cidadãos ambientalmente conscientes e responsáveis.
O objetivo principal é conscientizar aos habitantes do planeta Terra a importância e a necessidade da conservação dos recursos naturais do mundo.
Hoje, o Dia da Terra é celebrado em mais de 190 países, com a participação de cerca de 1 bilhão de pessoas.

O NOSSO PLANETA TERRA


A Terra tem em torno de 4,5 bilhões de anos e existem várias teorias para o “nascimento” do planeta.
A Terra é o terceiro planeta do Sistema Solar, tendo a Lua como seu único satélite natural.
A Terra tem 510,3 milhões de km2 de área total, sendo que aproximadamente 97% é composto por água (1,59 bilhões de km3). A quantidade de água salgada é 30 vezes a de água doce, e 50% da água doce do planeta está situada no subsolo.

A atmosfera terrestre vai até cerca de 1.000 km de altura, sendo composta basicamente de nitrogênio, oxigênio, argônio e outros gases.

Há 400 milhões de anos a Pangéia reunia todas as terras num único continente. Com o movimento lento das placas tectônicas (blocos em que a crosta terrestre está dividida), 225 milhões de anos atrás a Pangéia partiu-se no sentido leste-oeste, formando a Laurásia ao norte e Godwana ao sul e somente há 60 milhões de anos a Terra assumiu a conformação e posição atual dos continentes.

O relevo da Terra é influenciado pela ação de vários agentes (vulcanismo), abalos sísmicos, ventos, chuvas, marés, ação do homem) que são responsáveis pela sua formação, desgaste e modelagem. O ponto mais alto da Terra é o Everest no Nepal/ China com aproximadamente 8.848 metros acima do nível do mar. A Terra já passou por pelo menos 3 grandes períodos glaciais e outros pequenos.

A reconstituição da vida na Terra foi conseguida através de fósseis, os mais antigos que conhecemos datam de 3,5 bilhões de anos e constituem em diversos tipos de pequenas células, relativamente simples. As primeiras etapas da evolução da vida ocorreram em uma atmosfera anaeróbia (sem oxigênio).

As teorias da origem da vida na Terra, são muitas, mas algumas evidências não podem ser esquecidas. As moléculas primitivas, encontradas na atmosfera, compõe aproximadamente 98% da matéria encontrada nos organismos de hoje. O gás oxigênio só foi formado depois que os organismos fotossintetizantes começaram suas atividades. As moléculas primitivas se agregam para formar moléculas mais complexas.

A evidência disso é que as mitocôndrias celulares possuam DNA próprio. Cada estrutura era capaz de se satisfazer suas necessidades energéticas, utilizando compostos disponíveis. Com este aumento de complexidade, elas adquiriram capacidade de crescer, de se reproduzir e de passar suas características para as gerações subseqüentes.

A população humana atual da Terra é de aproximadamente 6 bilhões de pessoas e a expectativa de vida é em média de 65 anos.

Para mantermos o equlíbrio do planeta é preciso consciência dessa importância, a começar pelas crianças. Não se pode acabar com os recursos naturais, essenciais para a vida humana, pois não haverá como repô-los. O pensamento deve ser global, mas a ação local, como é tratado na Agenda 21.

 

Problemática



A temperatura média da Terra gira em torno de 15º C. Isso ocorre porque existem naturalmente gases, como o dióxido de carbono, o metano e o vapor d´água em nossa atmosfera que formam uma camada que aprisiona parte do calor do Sol. Se não fossem esses gases, a Terra seria um ambiente gelado, com temperatura média de -17º C. Esse fenômeno é chamado de efeito estufa. Não fosse por ele, a vida na Terra não teria tamanha diversidade.

Só que desde a revolução industrial, começamos a usar intensivamente o carbono estocado durante milhões de anos em forma de carvão mineral, petróleo e gás natural, para gerar energia, para as indústrias e para os veículos.

Somente no último século, a temperatura da Terra aumentou em 0,7º C. Parece pouco, mas esse aquecimento já está alterando o clima em todo o planeta.

O homem é o principal responsável por este problema. E é ele que precisa encontrar soluções urgentes para vitar grandes catástrofes.

FONTE: http://cmqv.org/website/artigo.asp?cod=1461&idi=1&moe=212&id=15800

 

18 de Abril – Dia Nacional do Livro Infantil

O Instituto Akatu divulgou no site essa semana, esse riquíssimo material! Livros infantis sobre a temática da sustentabilidade e conscientização ambiental.

O Dia Nacional do Livro Infantil é comemorado em 18 de abril, dia do nascimento de Monteiro Lobato, um dos mais importantes escritores da literatura infanto-juvenil de nosso país. Aproveitando a data, o Instituto Akatu, por meio do Edukatu, plataforma gratuita e aberta de aprendizagem sobre consumo consciente e sustentabilidade, reforça a importância de os professores incentivarem nas crianças e adolescentes a leitura de livros de consumo consciente e sustentabilidade.

Muitos dos hábitos, conceitos e ideias que aprendemos durante a infância são levados para a fase adulta. “O consumo consciente, a preservação ambiental e a sustentabilidade são conceitos que devem ser trabalhados logo cedo com nossas crianças. Além dos conceitos, os mais novos costumam se espelhar no que fazem os adultos. Por isso, é fundamental que pais e professores, principalmente, deem bons exemplos diariamente. Afinal, valores devem ser partilhados e construídos juntos”, explica Silvia Sá, gerente de educação do Instituto Akatu.

Pensando em dar uma ajuda para professores, educadores, e até mesmo para os pais que querem inserir o tema do consumo consciente e sustentabilidade na educação dos pequenos, o Instituto Akatu selecionou uma lista com 10 livros infantis que podem ser muito úteis nesse momento: – O pequeno príncipe, de Antoine de Saint-Exupéry – O sonho de Lu Shzu, de Ricardo Gómez (Editora Mov Palavras) – Uma festa de cores, de Ronaldo Fraga e ilustração de Anna Göbel (Autêntica Editora) – Contos da natureza, de Dawn Casey (WMF Martins Fontes) – As Cores dos Pássaros, de Lucia Hiratsuka (Editora Rovelle) – Água para todo lado, de Rosana Jatobá (Grupo Plano B) – Será que eu compro?, de Rosana Jatobá (Grupo Plano B) – O homem que amava caixas, de Stephen Michael King (Brinque Book) – Lolo Barnabé, de Eva Furnari (Editora Moderna) – João – o menino mais rico do mundo, de Francisco Abreu (Editora Terceiro Nome).

Além dos livros, que são ótima ferramenta de educação, os professores e educadores podem complementar o processo educacional com as muitas atividades e recursos oferecidos pelo Edukatu. O Edukatu é a primeira rede de aprendizagem sobre os conceitos e práticas do consumo consciente e sustentabilidade para alunos e professores do Ensino Fundamental de todo o Brasil.

No espaço virtual disponível há circuitos de aprendizagem cheios de desafios para os estudantes explorarem, conteúdos exclusivos (vídeos, reportagens, planos de aula, atividades e jogos), além de uma comunidade virtual para trocar ideias com outras escolas.

Fonte:  Instituto Akatu e site www.akatu.org.br