Jaime Prades faz arte com ‘lixo’ na exposição Osso

A partir de 19/04, em São Paulo, a exposição Osso reúne cerca de 40 obras do acervo do artista

Jaime Prades feitas, em sua maioria, a partir da reutilização de materiais. Entre elas, a instalação

que dá nome à mostra, produzida com restos de madeira, ferro e plástico para evidenciar a

“fratura entre homem e natureza” na atual sociedade de consumo

Vem aí mais uma exposição do artista plástico espanhol, naturalizado brasileiro, Jaime Prades: a partir de 19/04, a mostra Osso apresenta ao público cerca de

40 obras do acervo do profissional – entre pinturas, esculturas e objetos -, que são, em sua maioria, inéditas e feitas a partir da reutilização de materiais.

A ideia é utilizar a arte para provocar a reflexão a respeito da voracidade da cultura de consumo. “É uma forma poética e delicada de dizer que o que descartamos econsideramos desprovido de qualquer valor, se olhado com outro espírito – ou com o espírito – pode nos dizer coisas que nem imaginamos”, explica Jaime Prades.

O destaque da mostra é a instalação Osso, que inclusive dá nome à exposição. Feita com restos de madeira, ferro e plástico, ela é composta por três ilhas que representam a terra, a água e a atmosfera e que interagem entre si, se completando. A intenção é evidenciar a fratura que existe entre homem e natureza na atual sociedade de consumo.

Gratuita, a exposição Osso fica aberta ao público até 08/06 no Espaço Cultural Instituto Cervantes. A mostra ainda integrará a programação da Virada Sustentável 2013, que acontece durante três dias, a partir de 06/06, na cidade de São Paulo.

EXPOSIÇÃO OSSO
Data: 19/04 a 08/06
Horário: de terça a sexta, das 14h às 22h, e aos sábados, das 9h às 15h
Local: Espaço Cultural Instituto Cervantes
Endereço: Av. Paulista, 2439, Consolação – São Paulo/SP
Entrada gratuita

fonte: http://planetasustentavel.abril.com.br/noticia/cultura/jaime-prades-arte-lixo-exposicao-osso-virada-sustentavel-2013-736961.shtml

Anúncios

TRILHAS DO BRINCAR

 A exposição lúdico-interativa Trilhas do Brincar apresenta brincadeiras de diversas regiões do Brasil e, ao mesmo, abre um espaço para que crianças e adultos relembrem e recriem suas brincadeiras. Os visitantes são recebidos por uma equipe de educadores responsáveis por apresentar os diversos espaços, brinquedos e brincadeiras presentes na exposição, além de estimular o público a propor novas brincadeira de seu repertório.

Esta semana fui no Sesc Santo André e pude participar dessa maravilhosa exposição. Muita parte do material utilizado era de origem reciclável.  A  gigantesca árvore central tinha suas folhas feitas com luvas de borracha usadas e seu tronco em retalhos de aglomerado. Unir brincadeiras regionais com uma visão sustentável é sem dúvida contribuir com a preservação planeta.

As brincadeiras e os brinquedos dos meninos do Brasil viajam simbolicamente por “caminhos” que cortam as regiões do país, deixando evidente que rodas cantadas, pega-pega, jogos do elástico ou da amarelinha não são demarcados por territórios específicos. O brincar não é “territorializado”, ele transita livremente de Norte a Sul, assim como de Leste a Oeste, do país.

Ela percorre o Brasil de norte a sul e de leste a oeste e destaca como a cultura infantil rompe as fronteiras geográficas. Em um grande quintal, brincadeiras das cinco regiões brasileiras surgem em instalações que mostram o rico léxico do brincar, as memórias de outras gerações e o caráter universal da cultura da infância, apesar de suas singularidades.

Curadoria                                                                                                                                                                                                                       Renata Meirelles e Gabriela Romeu

IMG_1053IMG_1061IMG_1068IMG_1069IMG_1070IMG_1073IMG_1086IMG_1088

Foto: Gabriela Diaz

SESC Santo André     
19/01 a 28/07.
De terça à sexta das 10h às 20h.
Sábados, domingos e feriados das 10h30 às 18h30.  

Exposição une arte e sustentabilidade

{8D1CA5F6-8CFC-4183-9013-67CB60B51245}_Expo Vira Lata Biofa - interna

Inovação e criatividade caminham juntas, de fato. Agora, na exposição Vira-Lata, elas transformam-se em arte, propondo uma reavalização sobre os objetos, frequentemente, descartados no cotidiano. A exposição, que ocorre de 2 de fevereiro a 31 de março, na Praça Victor Civita, evidencia, além das outras possibilidades de objetos comuns, outras possibilidades para o fazer artístico e para as artes plásticas. Através da abordagem da reciclagem com arte, artistas plásticos fazem reuso de diversos tipos de latas, entre bebidas, alimentos, tintas e outros.
Em consonância com as reflexões contemporâneas sobre sustentabilidade e ecologia, a linguagem proposta visa a transformação da Praça Victor Civita em um espaço aberto para o usufruto de um outro tipo de arte. A exposição enriquece os sentidos e provoca, concomitantemente, uma reflexão madura sobre o descarte desnecessário de materiais recicláveis.
O título “Vira-Lata” é uma referência aos conhecidos cães de rua que vivem virando latas de lixo na busca por alimentos, mas também, se associa à virada artística promovida pelos artistas, transformando o que para muitos é simplesmente lixo, em obras de arte. Estas, além de ricas em significado, são belíssimas.

Exposição Vira-Lata
Data: de 2 de fevereiro a 31 de março de 2013. De segunda a domingo, das 8h às 18h
Local: Museu da Sustentabilidade
Endereço: Praça Victor Civita, Rua Sumidouro, 580, Pinheiros – São Paulo/SP
Contato: (11) 3031-3689
Entrada Franca

Fonte: http://pitangadigital.wordpress.com/2013/02/06/exposicao-une-arte-e-sustentabilidade/