Como fazer um fundo para reutilizar um banner

Sem ideia para fazer um fundo criativo com a cara dos pequenos?

Então que tal chamar os pequenos artistas para ajudar. Os pequenos da E.I (4 anos) colocaram a mão na tinta e saíram carimbando o fundo do painel. A orientação para obter as cores de forma “limpa”, sem virar aquele borrão de cor cinza. Foi não esfregar as mãos na tinta, apenas apertar! Use o lado cinza se não tiver muitos trabalhos para colocar.

Confira o resultado:

AUTO-CONSCIENTIZAÇÃO PELO ATO DE PLANTAR

Uma sugestão para o dia das mães ou  da família na escola é realizar uma atividade consciente. Então vamos plantar?

Sobre a arte de plantar…

“A arte de criar um cantinho especial e cheio de vida é uma atividade muito relaxante que alivia o estresse do dia a dia e até melhora o humor. Segundo especialistas, o contato direto e pleno com a natureza influencia a saúde física e mental das pessoas através de uma espécie de distração positiva. Sentir a terra molhada nos dedos, podar ramos, manusear sementes, regá-las e outras tarefas relacionadas à jardinagem ajudam a desenvolver os sentidos e podem funcionar como uma terapia alternativa, estimulando ainda mais a vontade de viver”.

IMG_4488 2

Uma proposta encantadora para realizar em família na escola, criar um ambiente onde  todos estão participando do processo de construção ou revitalização, proporciona auto-conscientização.  Essa atividade resulta no aproximar da família à escola, e a mesma passará a zelar mais  pelo espaço escolar, reconhecendo-se como  parte ativa e integrada do local.

Poderia listar inúmeros benefícios dessa atividade, afinal, a relação do homem com a natureza é sem dúvida a maior fonte de energia e vitalidade, desencadeando o processo criativo de forma espontânea e intuitiva, sendo gratificante, prazeroso e verdadeiro esse contato.

E no caso daqueles que não gostam de por a mão na terra?

Para os casos de pessoas que não “conseguiram” interagir de forma prazerosa, deixo uma ressalva:  se no ato presente foi ruim por a mão na terra, podemos entender naturalmente que isso ocorra com algumas pessoas que desde criança não foram “apresentadas” ou relacionaram-se com a natureza.  Mas a resposta esta no que podemos chamar de subconsciente, local onde guardamos nossa identidade ancestral e mais primitiva, para JUNG é chamado também de inconsciente coletivo. Com certeza nesse local, se podemos chamar assim, a atividade aguçou os sentidos e registrou uma aproximação… As vezes não damos conta, pois estamos muito distantes de nós mesmos, da nossa essência e agimos de forma superficial e egocêntrica, não nos permitindo conectar-se com a vida. Mas esta lá registrado, talvez no próximo contato a pessoa já perceba uma sutil diferença, e se persistir nessa busca, a transformação acontecerá. Assim a pessoa não terá mais problemas em por a mão na vida, a terra!


Materiais

  • Potes reciclados (potes diverso e canos de pvc);
  • sucatas, restos de materiais de outros eventos;
  • tinta (acrílica para não sair) para pintar, diversas cores;
  • pinceis, panos e potes com aguá;
  • mudas de plantas diversas (preferencia para ervas e comestíveis)

A arte e a criatividade fica por conta de customizar e enfeitar os vasos, confira:

Pintura geométrica – conhecendo as cores

Introduzir as cores, as texturas e as diversas possibilidades pelo caminho da liberdade de expressão é pura emoção. Sem claro, perder o foco no trabalho coletivo. Sentir a vibração da pintura, é muito mais que trocar experiencias… É proporcionar um resultado que vibra, carinho, amor, cooperatividade e  alegria. Uma tela deve conter essas propriedades terapêuticas… para curar um mundo doente, precisamos expressar compaixão!

Pintura livre – Cores e suas possibilidades  ( pequenos de 2 a 4 anos )

Aprendemos sobre como a cor chega na Terra, a importância do Sol, falamos até de ondas eletromagnéticas responsáveis pelas cores. Brincamos com as formas geométricas, inventando nome de objetos para cada forma.   Não subestime a capacidade de compreensão da crianças de 2 a 3 anos, eles são muito mais aptos à receber essas informações do que nós. Filhos da era tecnológica, confie no inconsciente coletivo, ele tá aí  fazendo seu papel. Agora educador,  faça sua parte!

O  que é cor?

Propriedade de uma radiação eletromagnética, com comprimento de onda pertencente ao espectro visível, capaz de produzir no olho uma sensação característica.

Material

  • uma tela grande – doação ou compensado de madeira
  • retalhos de papéis cortados de forma geométricas, pode ser: jornal, revista ou sobra (serão os pincéis).
  • uma folha de A2 (Branca).
  • tinta guache, diversas cores (principais cores primárias) com elas faremos as secundárias.
  • música: sons psicodélicos ou Mozart –  As 4 estações

Ação

Sentar as crianças em volta da tela no chão, primeiro faça com todos juntos o grande carimbão! Depois entregue um retalho de papel para cada um,  pedir para eles carimbarem os papéis  na tela…. antes brinque de carimbar no chão, invente um som, tipo: põe, põe, põe….

Confira:

Arte Naif

Arte naïf. O termo naif – ingênuo – presume a existência, por contraste, de uma forma de arte acadêmica, “não-ingênua”, “consciente”, de executar uma obra artística que os artistas desta corrente não seguem.

Arte Naïf começou a afirmar-se como uma corrente que aborda os contextos artísticos de modo espontâneo e com plena liberdade estética e de expressão e os seus seguidores definem-na hoje como “a arte livre de convenções”.

Objetivo

  • Compreender o conceito de Arte Naif
  • Trabalhar a socialização através da criação de uma obra coletiva
  • estimular a criatividade do grupo

Material

  • papelão (suporte)
  • diversas tintas
  • retalhos de tecidos
  • papéis usados de presente
  • jornal
  • furador \ pincéis

Processo

Conversa, vídeo educativo, criação artística (coletiva\ individual) , apresentação e fechamento com exposição exposição.

Este slideshow necessita de JavaScript.

14 de março dia da Poesia e dos animais!

Nesse dia podemos fazer uns minutinhos de poesia… O tema é animais, afinal o dia é deles também.Juntem-se em um pequeno grupinho e escrevam um poema. Depois cada grupo recitará seu verso, para juntos criarmos um grande poema unindo toda a sala.

No final podemos fazer um grande desenho para ilustrar o poema.

  • Papelão – caixas diversas (base)
  • Giz pastel oleoso
  • Recortes de animais em revistas e jornais

O trabalho de conscientização e sensibilização já começa agora, nessa proposta a criatividade é a maior ferramenta !

Poesia é um gênero literário caracterizado pela composição em versos estruturados de forma harmoniosa. É uma manifestação de beleza e estética retratada pelo poeta em forma de palavras. No sentido figurado, poesia é tudo aquilo que comove, que sensibiliza e desperta sentimentos.

Para comemorar essa data tão querida, lá vai o meu poema:

A ave no céu

 

Uma ave que voa no céu sem rumo,

Vive em rumo à felicidade,

Sente a brisa da verdade,

E canta a canção da eternidade,

Na sintonia da vibração perfeita

Essa é a natureza.

Com suas enumeras facetas.

 

Carnaval e Gentileza, viva a natureza!

A folia começou e a conscientização também… Como sempre não podemos deixar de lado nossos ideais, trabalhar com sucatas e materiais recicláveis é a  base da  proposta consciente.

O tema para esse carnaval: O profeta gentileza

Falamos sobre a origem do carnaval e o que é ser gentil para as pessoas e para o planeta. Assistimos um documentário sobre o profeta Gentileza, confeccionamos nossas plaquinhas para colocarmos por cima das fantasias ao som de Marisa Monte – Gentileza.

Proposta realizada com os pequenos do fundamental I

Na placa tinha a frase: GENTILEZA GERA GENTILEZA, AMOR A NATUREZA!

 

O mundo é uma escola…

Amor, palavra que liberta já dizia o Profeta!

Encontro com o grupo docente do IEPA!

Um bate papo consciente sobre a trajetória das artes desde a pré-história com as pinturas rupestres até o conceito atual da arte contemporânea. 

O Sustentabiliarte vem prestando assessoria ao  centro de educação infantil IEPA -Pequeno Aprendiz com encontros, palestras e oficinas para os educadores sobre: ecopedagogia, cidadania planetária, educação ambiental  e as linguagens artísticas.  A escola acredita que uma proposta artística pautada pelo olhar ecológico, usando a arte consciente com seus pequenos aprendizes é um caminho coerente a se seguir!

http://iepequenoaprendiz.com.br/

Sustentabiliarte tem artigo publicado na Revista UniFreire

Tudo começa com Paulo Freire, falando sobre uma proposta de pedagogia da terra.  Essa sendo publicada pelas mãos de Moacir Gadotti – Pedagogia da Terra (Petrópolis, 2000) um grande conteúdo para a vida, para sanar a vida e integrar-se com a alma!

Com muito prestígio e eterna gratidão a UNI Freire, obrigada!

Por acreditar na ECOPEDAGOGIA como um dos caminhos mais coerentes para a formação educacional, intelectual,  social e emocional do indivíduo.  Afinal, não podemos continuar separando o intelectual do emocional, somos um ser completo a partir do momento que compreendemos que estes conceitos estão entrelaçados. Segregá-los é sim um grande desequilíbrio, a filosofia  considerada o intelectual  um degrau cognitivo superior a experiência sensível e intuitiva, um grande erro. Vemos isso na sociedade atual, totalmente medicamentosa, uma sociedade doente emocionalmente que a cada dia ganha novas categorias de síndromes psiquiátricas. Quem fatura como tudo isso? A indústria farmacêutica, que hoje em dia é uma das mais crescentes no planeta.

Hoje campos de estudos como a neurociência e o neurocientista Richard Davidson vem provando a cada nova descoberta as verdadeiras motivações do ser humano, o que de fato o faz feliz. Seus estudos são  compartilhados com a humanidade  em documentários e palestras mundo a fora.

Rumo à planetariedade, juntos podemos formar cidadãos planetários ! 

A Revista UniFreire é dedicada à publicação de artigos, que tenham como referência os princípios filosóficos, políticos e pedagógicos de Paulo Freire, resultantes de pesquisas, acadêmicas ou não, de reflexões sobre a prática e construção de conhecimentos sobre educação.

CAMINHOS PARA UMA ECOEDUCAÇÃO SUSTENTÁVEL  – Gabriela Maria Diaz

RESUMO

Uma pedagogia que promova a aprendizagem significativa, atribuindo sentido às ações cotidianas, visando à sustentabilidade como eixo principal. Conscientizar a criança sobre o seu papel (no planeta), evidenciando na proposta os problemas atuais e ajudá-la a compreender as questões étnicas, sociais, culturais, políticas, econômicas e ecológicas de uma forma natural, através de diversas atividades para o desenvolvimento autônomo e consciente da criança, a fim de que ela se torne, assim, um futuro cidadão planetário, ciente de que sua casa é o planeta Terra.

As contribuições recebidas são submetidas à avaliação de uma Comissão Editorial que analisa os artigos do ponto de vista da adequação dos mesmos ao perfil e à linha editorial da revista, da pertinência do tema e forma de abordagem do conteúdo. Conheça as normas técnicas para publicação clicando aqui.

O recebimento de artigos ocorre em fluxo contínuo, por meio do e-mail:secretaria@unifreire.org

http://www.paulofreire.org/comunidade-freiriana-revista-unifreire

ESCREVA O QUE TE MOTIVA PARA VER UM PLANETA SUSTENTÁVEL DE VERDADE!

Férias: programação dos museus para passear com bebês e criança

O Sustentabiliarte apoia o lazer nas férias!


Um dos desafios para mães e pais de bebês e crianças pequenas é escolher um passeio que, além de entreter os pequenos nas férias, ofereça estrutura de atendimento adequada, com trocadores de fraldas, acessibilidade e bancos para descanso e amamentação.

Confira seis museus que oferecem tanto atividades especiais para famílias quanto facilidades que garantem o conforto dos pequenos para aproveitarem as férias escolares.

Confira:

Museu Catavento

O Museu Catavento é um espaço educativo e interativo com atrações e atividades para pessoas de todas as idades. Bebês com seus pais podem participar e se divertir em espaços como a sala “Engenho”, o Borboletário e o jardim do local. Com acesso para carrinhos de bebês, o museu também oferece bancos para todos descansarem, trocadores para bebês nos banheiros masculinos e femininos e enfermeiro no local.

Ingresso: R$6 (inteira) e R$3 (meia). Aos sábados a entrada é gratuita Crianças até três anos não pagam

Funcionamento: terça a domingo, (fechado às segundas), das 9h às 17h (Bilheteria fecha às 16h)

Casa das Rosas

A Casa das Rosas, museu dedicado à poesia e à literatura, possui banheiro com trocador para bebês, cadeiras nas varandas, rampa de acesso e elevador. O carrinho de bebê, que pode ser guardado em uma sala reservada para esse fim. A entrada é gratuita.

Funcionamento: terça a sábado, (fechado às segundas) das 10h às 22h | domingos e feriados, das 10h às 18h.

Pinacoteca de São Paulo

A Pinacoteca de São Paulo possui o projeto “PinaFamília”, realizado sempre no segundo domingo do mês.  O objetivo é estimular a visita de famílias ao museu e estimular a apreciação artística com atividades e visitas guiadas. A Pinacoteca conta com bancos distribuídos por todo o museu, trocadores para bebês nos banheiros masculinos e femininos, acesso para carrinho de bebê e elevadores.

Crianças até 9 anos não pagam. R$ 6 | Grátis aos sábados

O PinaFamília propõe um dia de atividades lúdicas para incluir toda a família e interagir com o museu de um jeito diferente.

Museu da Casa Brasileira

Com bancos espalhados por todo jardim, onde é possível sentar para descansar e também amamentar, o Museu da Casa Brasileira oferece acesso para carrinho de bebê e uma programação de oficinas educativas voltadas para crianças e sua família, como o “Encontros no quintal”, que acontece quinzenalmente no jardim do MCB para troca de ideias, experiências e realizações de atividades; a oficina de “Casinha”, que também acontece quinzenalmente, sempre às quartas-feiras, onde os participantes são convidados a construir modelos de casa com materiais não estruturados, a partir de suas lembranças e memórias.   O espaço também possui trocadores para bebês nos banheiros masculinos e femininos.

Crianças até 10 anos não pagam. R$ 7 | Grátis aos sábados, domingos e feriados

Funcionamento: terça a domingo, (fechado às segundas) das 10h00 às 18h00

Museu da Imagem e do Som (MIS-SP)

No último domingo do mês, o MIS-SP realiza a Maratona Infantil, um dia repleto de atividades voltadas para crianças e suas famílias. Os visitantes podem aproveitar inúmeras atrações, tais como oficinas, espetáculos, contação de histórias e shows. O espaço possui trocadores para bebês nos banheiros masculinos e femininos, elevador para acesso com carrinho de bebê e banco para descanso.

Ingresso: gratuito às terças-feiras; consulte valores nos outros dias, que variam de acordo com a exposição. Crianças até cinco anos não pagam.

Funcionamento: terça a sexta, (fechado às segundas) das 12h às 21h | sábados, domingos e feriados, das 11h às 20h.

Museu Afro Brasil

Com trocadores de fralda nos banheiros femininos e masculinos, o Museu Afro Brasil oferece, no último sábado do mês, a contação de histórias “Aos Pés do Baobá”, onde crianças acompanhadas de seus pais podem conhecer narrativas africanas ou afro-brasileiras, seguida de bate-papo com os educadores do museu.

Ingresso: R$6 (inteira) e R$3 (meia). Aos sábados a entrada é gratuita. Crianças até 10 anos não pagam.

Funcionamento: terça a domingo, (fechado às segundas), das 10h00 às 17h (Bilheteria fecha às 18h)

Museu do Futebol

O Museu do Futebol possui acessibilidade em todos os espaços. Com rampas de acesso, elevadores e escadas rolantes, é possível entrar com o carrinho de bebê nas salas do Museu. O espaço também possui trocadores de fraldas nos banheiros femininos e no banheiro unissex, permitindo um passeio mais confortável e divertido com o papai ou com a mamãe.

Ingresso: R$9 (inteira) e R$4,50 (meia). Grátis aos sábados

Funcionamento: terça a sexta-feira, das 9h às 17h (Bilheteria até às 16h). Sábados, domingos e feriados das 10h às 18h (bilheteria até às 17h)

Confira os endereços e horários em:

Fonte:https://catraquinha.catracalivre.com.br/sp/agenda/gratis/ferias-programacao-dos-museus-para-passear-com-bebes-e-criancas/

ARTE PARA SANAR PROBLEMAS DE RELACIONAMEMTO

Os estudantes as vezes passam um ano letivo inteiro em conflitos… Por não aprenderem a lidar com as diferenças, muitas vezes a falta de “respeito” com o próxima leva a sala inteira a criar barreiras de relacionamento. 

A arte pode ajudar?

Mas é claro que sim… Qualquer atividade coletiva sem competição pode ajudar a melhorar o relacionamento da turma.  Nada melhor que estimular o ALTRUÍSMO E A COOPERAÇÃO.

Vamos começar com um documentário:

A Revolução do Altruísmo – Doc. NETFLIX

Sinopse: Sam Polk viveu por anos consumido pelo dinheiro do mercado financeiro, mas depois da crise de 2008 decidiu se dedicar a uma vida mais altruísta. No (NETFLIX).

Documentário que surge após palestras do pesquisador: Matthieu Ricard.

O que é altruísmo? Simplificando, é o desejo de que outras pessoas sejam felizes. Matthieu Ricard, pesquisador de felicidade e monge budista de linha tibetana, diz que o altruísmo é também uma ótima lente para tomada de decisões, tanto a curto como a longo prazo, no trabalho e na vida.

A arte entra como ferramenta de socialização, vamos juntos criar uma obra de acordo com as cores que vocês sentem necessidade de usar… Usar o vermelho por qual motivo? O que ele te transmite?…. Azul trás calma… O verde…

O suporte usado foi um isopor  “velho”… usado pela professora de geografia em uma maquete e descartado… Eu como sou conhecida por: RAINHA DA SUCATA logo saberia que teria um momento certo para reutilizar  e transformar em obra de arte e expor pelo colégio.